22/01/2016 às 15h19min - Atualizada em 22/01/2016 às 15h19min

Obras de saneamento em Anchieta

A primeira fase do projeto conta com investimento de R$ 2,54 milhões da Funasa, além de contrapartida de R$ 194 mil

Anchieta

Conforme informações do secretário de Desenvolvimento Local, de Anchieta, Nelson Duarte, as ligações domiciliares da primeira etapa da obra de Saneamento Básico da cidade estão 90% concluídas. “Este é um projeto antigo, que iniciou em 2006, sendo que foi licitado várias vezes, porque as planilhas ficavam desatualizadas devido a falta de empresas interessadas na execução da obra”, recorda Nelson explicando que as obras iniciaram em setembro do ano passado, e que a primeira fase do projeto conta com um investimento de R$ 2,54 milhão da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), sendo a contrapartida do município de R$ 194 mil.

A obra que está sendo executada por uma empresa paranaense, compreende a construção da estação de tratamento de dejetos e a rede de captação em 100 residências localizadas nas ruas Olinda, Carlos Piccoli, parte da Minas Gerais e parte da Buenos Aires. O terreno onde será construída a estação de tratamento é de propriedade do município e fica na comunidade de linha São Marcos.

Conforme alerta o secretário, as ligações domiciliares são feitas até o muro dos anchietenses, ou seja, até o limite onde a área é pública. “Do terreno para dentro a responsabilidade de instalação da ligação e custos é do munícipe. Fizemos audiências públicas e sempre deixamos claro que haverá um custo para essa captação. Isso será de responsabilidade da Casan e será somado na fatura, junto com a água do mês”, informa Nelson.

A primeira etapa do projeto deverá ser concluída até maio e então inicia o tratamento dos dejetos. Após inicia-se automaticamente a etapa dois do projeto que contemplará o restante das residências da área urbana.

O projeto sofreu recentemente uma alteração quando ao sistema de tratamento, que segundo o secretário de Desenvolvimento era muito grande para a demanda do município. “A capacidade ia ser de início para 20 mil pessoas, com previsão de aumentar para 30 mil. Então, a Funasa nos autorizou a mudar o sistema, fazendo a estrutura de modo compacto e modular, ela virá pré-fabricada e podemos futuramente ampliá-la”, explica Nelson pedindo a compreensão da população para este período de obras nas ruas. “É um transtorno, mas necessário, que irá apenas melhorar a qualidade de vida e a saúde dos anchietenses”, finalizou.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »