22/01/2016 às 15h39min - Atualizada em 22/01/2016 às 15h39min

Anchietense recebeu resgate aeromédico

Valdicir Pandolfo, de 56 anos, foi transferido de Campo Erê para Maravilha no dia 12. O anchietense que sofria de problemas no fígado acabou falecendo um dia depois

Anchieta/Campo Erê

Pela primeira vez o município de Campo Erê recebeu o atendimento do resgate aeromédico. Na terça-feira passada, 12, o paciente Valdecir Pandolfo, de 56 anos, que estava internado em estado grave no Hospital Santo Antônio foi transferido para Maravilha. O paciente acabou entrando em coma, um pouco antes da transferência, e através dos recursos da UTI, de Maravilha, ficou estável naquele dia, mas acabou não resistindo, vindo a falecer no dia 13.

Valdecir era morador da linha Café Filho, interior de Anchieta, e sofria de problemas ligados a doenças do fígado. O atendimento foi realizado por volta das 14h15, no dia 12, quando a guarnição do corpo de bombeiros do município transferiu o paciente do hospital para o estádio municipal, onde o helicóptero pousou.

 

Serviço

O serviço de atendimento e resgate aeromédico (Sara) é resultado de uma parceria, firmada há um mês, entre a Secretaria de Saúde do município de Chapecó, Secretaria de Segurança Pública e a Polícia Civil através do Serviço Aeropolicial de Fronteira (Saer/Fron). O registro da média de atendimento do serviço de urgência e gravidade, deste período, foi de um atendimento a cada dois dias.

Segundo informações da Polícia Civil além do apoio ao Sara, o Saer/Fron também atua em missões policiais e de resgate em apoio aos órgãos de segurança e de defesa civil nos 84 municípios da região de fronteira de Santa Catarina.

A realização do resgate aeromédico, com a diminuição do tempo resposta para atendimento das vítimas, permitiu também que 14 pessoas tivessem suas vidas preservadas e com diminuição de sequelas pós-atendimento. Essas ocorrências envolveram vítimas de acidentes de trânsito, gestantes de risco em situação de parto emergencial, feridos com armas, pacientes infartados que necessitavam de procedimentos de emergência, dentre outras situações de maior gravidade.

Conforme nota divulgada pela Polícia Civil o número de missões neste primeiro mês superou as expectativas da Coordenação Saer/Sara, comprovando a importância do serviço recém- implementado. O atendimento conta com policiais civis, médicos e enfermeiros, devidamente treinados para atendimentos de resgate e atendimentos médicos emergenciais. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »