31/07/2015 às 09h56min - Atualizada em 31/07/2015 às 09h56min

Servidores municipais de Dionísio Cerqueira são afastados

Redação
Dionísio Cerqueira
ASO/Igor Vissotto

Nesta quinta-feira, 30, o juízo de Dionísio Cerqueira acatou representação da Polícia Civil local e afastou dois servidores do município de suas funções. Ambos são casados; Deliziane Lemes dos Santos é diretora do hospital e Elio Antônio Nedel Junior era servidor público e coordenador do laboratório municipal, cujas investigações apontam que houve fraude na licitação de serviços do laboratório para o hospital. O afastamento se dará até o julgamento da ação. 

A solicitação de afastamento foi decorrente de inquérito policial da Polícia Civil de Dionísio Cerqueira em curso que apontou que o laboratório investigado, que fica anexo ao hospital, foi contratado pelo município, durante o período em que o conduzido exercia as funções de sócio do estabelecimento e era, ao mesmo tempo, servidor público do município. “Isto caracteriza em tese os delitos de fraude à licitação e falsidade ideológica, visto que a Lei de licitação, em seu artigo 9, inciso III, veda a contratação com servidor público”, pontuou o Delegado de Polícia Civil, Eduardo Mattos.

Segundo Mattos, foram mais de 15 contratos entre o hospital e o laboratório, só dois deles, somam mais de R$ 95 mil. O laboratório foi fundado em 2009, o investigado em 2012, quando era sócio, assumiu como servidor e, em 2013, transferiu a sociedade para o irmão dele.

Esta investigação é decorrente da Operação Última Hora, desencadeada em 1° julho deste ano, que prendeu quatro servidores públicos, investigados por várias fraudes como pagamento indevido de horas extras a alguns servidores. Os danos aos cofres públicos podem passar dos R$ 6 milhões.

“Colabore com a Polícia Civil. Denuncie. Disque 181”.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »