18/06/2016 às 10h15min - Atualizada em 18/06/2016 às 10h15min

“Eu sinto o calor do sol”

Trilha Sensorial feita com alunos da Apae proporcionou sensações e estímulos

Os alunos da Escola Especial Padre Martinho Burger – Apae – de Anchieta participaram recentemente dia 8, de uma atividade muito especial. A Trilha Sensorial, realizada pelos alunos do projeto Protetor Ambiental – parceria da Polícia Militar Ambiental e a Prefeitura.

Neste dia, durante manhã e tarde, os alunos apaeanos puderam experimentar novas sensações e sentir novos estímulos. Funcionava assim: os alunos eram guiados pelos protetores ambientais por uma trilha, na Gruta Nossa Senhora de Lourdes. Eles eram vendados e com muita conversa e tranquilidade eram levados para sentir as árvores, cheirar as flores, tocar em pedras, ouvir os pássaros. Enfim, eram estimulados a sentir a natureza e a vida em suas diversas formas.

Uma das alunas quando questionada sobre o que estava sentindo disse: “Eu sinto o calor do sol. É quentinho e gostoso”, outro se assustou com folhas secas que foram colocadas em suas mãos, devido ao barulho. Logo ele foi acalmado pelo carinhoso protetor ambiental que lhe explicou o que fazia aquele barulho. Mostrando segurança e confiança o apaeano sorriu e continuou seu caminho.

“As pessoas com deficiência também tem habilidades, por isso precisamos estimulá-las a desenvolver isso. Eles têm alguns sentidos muito mais apurados do que algumas pessoas, são sensíveis e sentem o mundo de maneira diferente”, comenta a diretora da Apae, Vera Lucia Junges. Para ela a parceria com os protetores ambientais foi especial. “Já vínhamos desenvolvendo um projeto que envolve alimentação, hábitos e higiene e tínhamos a pretensão de envolver as sensações. Foi aí que em conjunto com os protetores fizemos esse projeto”, explica.

A diretora avaliou também o cuidado e o carinho com que a atividade da Trilha Sensorial foi desenvolvida. “Os protetores foram muito carinhosos. Nós conhecemos nossos alunos e vimos que eles realmente sentiram confiança. Isso é inclusão e trabalho de estimulo. Ficamos muito contentes, tanto que no verão temos pretensão de realizar outra trilha”, adiantou Vera.

O policial ambiental, Gilberto Pilla, que acompanhou a atividade, explica que dentro do projeto do Protetor Ambiental são trabalhados diversos temas. Dentre eles está a integração com o meio ambiente, questões sociais e percepções. “Essa turma que formamos em Anchieta é muito empenhada. Eles continuam com projetos e tem todo nosso apoio. Aqui eles disseminaram o que aprendem com o curso. Eles foram contando histórias e assim mostrando a natureza para os apaeanos”, comenta Pilla.

 Participaram da Trilha Sensorial cerca de 30 alunos. O frio atrapalhou um pouco, pois mesmo com o sol, a gruta fica em uma área arborizada, e na sombra era bem gelado para todos. 

Ao final da atividade os protetores, junto com os alunos da Apae, fizeram uma dança para encerrar o momento com descontração. Lá muitos deram seus relatos sobre o que sentiram durante a atividade. Em sua maioria os apaeanos afirmaram que gostaram muito da trilha. Já os protetores ambientais, garantiram que foi gratificante ser útil e poder mostrar como a natureza é importante. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »