09/08/2016 às 17h02min - Atualizada em 09/08/2016 às 17h02min

Curso de Medicina Veterinária debate a produção ovina na região Extremo-oeste

O 2º Fórum de Produção Ovina e a 1ª Mostra Científica da Ovinocultura do curso de Medicina Veterinária da Unoesc São Miguel do Oeste reuniu sexta-feira, dia 5, cerca de 120 estudantes, produtores e profissionais da área, no auditório da Universidade. Segundo o professor  do curso, José Francisco Xavier da Rocha o evento abordou sobre o mercado da ovinocultura, os diferentes segmentos na criação e estimulou a atividade na região Extremo-oeste. "A participação dos alunos e produtores evidenciou o quanto é importante a discussão sobre diferentes atividades em nossa região", avalia o professor.

            A palestra sobre  produção intensiva de forrageiras, ministrada pelo engenheiro agrônomo Jonas Marcelo Ramon, abriu as atividades do Fórum. Logo após, o médico veterinário Marcos Silva Borba ministrou a palestra "A ovinocultura e o desenvolvimento territorial: o caso do Alto Camaquã". Durante a tarde, o professor Vicente Macedo falou sobre a produção de carne ovina e o desafio do mercado ovino. A ovinocultura de leite como fonte de renda em propriedades rurais foi tema da palestra com o zootecnista Anderson Elias Bianchi. Produtores e estudantes também puderam saber como fazer o controle de coccidiose em ovinos com o especialista Nilson Coelho.

            Além das palestras, os participantes do evento puderam conhecer nove pesquisas da área, desenvolvidas pelos acadêmicos do curso de Medicina Veterinária, sob a supervisão dos professores.

           

A atividade na região Extremo-oeste catarinense

 

            Segundo o professor do curso, José Francisco Xavier da Rocha, a região Extremo-oeste catarinense caracteriza-se como um dos polos de grande potencial da ovinocultura. O professor destaca que existem vários projetos de organização da cadeia produtiva com frigoríficos, produção de embutidos, queijos, entre outros. "Essa atividade oportuniza grandes alternativas para o produtor que trabalha corretamente, pois é uma carne nobre de grande aceitação pelo consumidor final, principalmente quando se trata de animais mais jovens, como o cordeiro", salienta José.

            O produtor também tem a possibilidade de agregar renda com a ovinocultura leiteira. José ressalta que o mercado de linhas de queijos nobres, leite e outros derivados está em ascensão. "A atividade ovina é extremamente rentável quando bem trabalhada e explorada. Para o sucesso dessa atividade, é imprescindível a participação em eventos como esse e a troca de experiências entre palestrantes e produtores", finaliza o professor José Francisco Xavier da Rocha.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »