14/10/2016 às 09h03min - Atualizada em 14/10/2016 às 09h03min

2º lugar em feira de Ciências

Projeto do Cedup se destacou em feira Nordestina de Ciência e Tecnologia

Divulgação

Entre os dias de 26 de setembro e 1º de outubro, os alunos do Centro de Educação Profissionalizante – Cedup – de Campo Erê, Lucas Somavilla e Chérllyn Dias, participaram da Feira Nordestina de Ciência e Tecnologia em Boa Viagem – Pernambuco, acompanhados pelo professor, Etore Bortese.

O projeto foi o único do Estado de Santa Catarina a participar da Feira. Competiu com aproximadamente 200 projetos nacionais e internacionais (México, Paraguai, Peru e Brasil) e recebeu premiação de 2º lugar na área de Ciências Agrárias.

Durante o evento, foi possível levar ao público o resultado de vários meses de estudo e pesquisa, por meio de um projeto onde demonstraram a eficiência da utilização de insetos para repelir pragas. Segundo os estudantes, os insetos popularmente conhecidos como “vaquinhas”, nome científico Diabrótica speciosa, causam grandes danos e reduzem a qualidade das hortaliças produzidas em nosso país.

Os estudantes aplicaram um macerado (massa esmagada) destes insetos em sete culturas numa área de 100 m² e realizaram avaliações diárias durante um ano, fazendo a minuciosa contagem dos insetos em cada cultura. Foi a partir daí que constataram a eficiência do macerado como repelente de insetos da mesma espécie em todas as culturas. De acordo com o experimento, a maior redução foi observada na cultura da cenoura e do repolho.

Através do experimento, os estudantes concluíram que o macerado não demonstrou muita ação sobre outras pragas, mas pôde-se perceber que foi extremamente eficiente para repelir insetos de mesma espécie, conseguindo reduzir população da praga em até 70%. Há que ressaltar ainda que os resultados foram afetados pelo clima, como alta umidade, ventos e chuva.

O sucesso do experimento fez com que o projeto conquistasse o 4º lugar na classificação geral dos melhores trabalhos da Feira Mostratec no ano de 2015 em Novo Hamburgo – Rio Grande Sul, e consequentemente o passaporte para a Feira Nordestina de Ciências, que aconteceu em Pernambuco na última semana.

Para a diretora da instituição, Ignez Peruzzo, a ação demonstra a relevância dos projetos de pesquisa realizados na instituição. “Creio que somos um dos poucos colégios agrícolas do Estado que exige dos alunos a elaboração e implantação destes projetos”, conclui.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »