09/11/2016 às 08h54min - Atualizada em 09/11/2016 às 08h54min

Acadêmicos da Unoesc desenvolvem projetos sociais à comunidade

Divulgação

Os estudantes da sexta fase do curso de Psicologia da Unoesc Pinhalzinho apresentaram, este mês, os projetos sociais,  desenvolvidos no componente curricular de Técnicas de Avaliação e Intervenção Psicossocial. Os trabalhos foram apresentados no auditório da Universidade com a participação da comunidade.

            Segundo a professora do componente curricular, Lisandra Antunes de Oliveira, os estudantes tiveram que identificar as necessidades dos locais onde estão inseridos e  desenvolver projetos inéditos. Ela destaca que os projetos trazem benefícios à população e ampliam o leque de possibilidades de atuação do psicólogo.Para o coordenador do curso, professor Álvaro Cielo Mahl, a atividade faz com que o aluno amplie a sua percepção para identificar as demandas da região e buscar  desenvolver planos e estratégias de intervenção que atendam às necessidades do local.

            Este ano, os acadêmicos desenvolveram propostas sobre prevenção ao abuso sexual e suicídio; esclarecimento de gêneros nas escolas; implantação de psicólogos em locais que ainda não têm; Infecção Sexualmente Transmissível  (IST) na escola; educação no trânsito; grupos para pessoas enlutadas; grupos para familiares de pessoas que tiveram Acidente Vascular Cerebral (AVC); grupo para pessoas com depressão, entre outros.

            Segundo a professora Lisandra, os projetos sobre prevenção ao suicídio e ao abuso sexual infantil  serão apresentados, no próximo ano, em uma audiência pública no município de Maravilha.

 

Prevenção do suicídio e do abuso sexual

           

            A acadêmica Taize Hollas desenvolveu o projeto " Prevenção do suicídio com a população rural do município de Maravilha". O trabalho tem o objetivo de mapear e identificar pessoas suscetíveis ao suicídio; detectar possíveis fatores agravantes do grupo de risco; promover campanhas preventivas; proporcionar a formação de laços afetivos entre a população rural e acolher as famílias com casos de suicídio.

"Esse é um sério problema de saúde pública. Dados do Instituto Geral de Perícias (IGP) e do Instituto Médico Legal (IGP) apontam que, entre 2010 e 2015, o município de Maravilha teve 25 mortes por suicídio", afirma a estudante.

            O trabalho intitulado " Abuso sexual infantil: a importância da prevenção nas escolas" foi tema do projeto da acadêmica Daiane Robert. A proposta é capacitar os profissionais da educação sobre o abuso sexual infantil e abordar o tema com crianças e adolescentes da 1ª série a 5ª série das escolas de Maravilha. " Mesmo com um elevado número de casos comprovados, a prevenção não é trabalhada nas escolas, principalmente pelo medo e por ainda ser um tabu em nossa sociedade", avalia Daiane.

            As estudantes Taize e Daiane relatam que os projetos sociais fazem com que elas tenham um olhar diferenciado sobre temas importantes que envolvem a comunidade, além de ser uma oportunidade para incentivar mudanças e propor melhorias no local onde vivem.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »