09/08/2017 às 09h25min - Atualizada em 09/08/2017 às 09h25min

Políticos catarinenses são investigados pelo Ministério Público

O Ministério Público Federal do Distrito Federal reforçou nesta terça-feira, 08, a denúncia criminal contra 72 ex-deputados federais por uso irregular de passagens aéreas da Câmara dos Deputados em nome de terceiros.

Desses 72 políticos, quatro são catarinenses, os quais atuavam na Câmara em 2008, quando o famoso caso Farra das Passagens foi revelado. Entre os denunciados, estão os nomes de Carlito Merss do PT, Gervásio Silva do PSDB, Djalma Berger do PMDB e Ângela Amin do PP.

Segundo o MPF, juntos, os quatro parlamentares teriam utilizados quase 600 passagens irregulares, gerando uma despesa aos cofres públicos superior à R$ 400 mil, por isso eles são acusados de crime de peculato, que é quando o agente utiliza dinheiro público em benefício próprio.

Além desses, outros 13 políticos catarinenses também foram denunciados pelo mesmo motivo ainda no ano passado, entre eles nomes conhecidos como de Cláudio Vignatti do PT, João Pizolatti do PP, Odacir Zonta e Paulo Bornhausen ambos do PSB.

 

Estima-e que os 72 acusados tenham usados quase 14 mil bilhetes de viagens, o que totaliza um gasto superior à R$ 8 milhões.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »