15/08/2015 às 09h36min - Atualizada em 16/08/2015 às 12h00min

A dedicação de um pai

Euzébio Della Flora, 89 anos, e sua esposa Maria tem 11 filhos. Dois deles, Flavio e Luiz, ainda precisam de cuidados

Analiza Vissotto
Guarujá do Sul
ASO/Analiza Vissotto

Natural de Jaguari-RS, Euzébio Della Flora, 89 anos, mora desde 1960 na linha Possato Baixo, em Guarujá do Sul. Trabalhando e vivendo da agricultura, Euzébio e a esposa Maria, 74 anos, criaram 11 filhos, destes sete ainda moram perto dos pais. O restante está pelo Brasil, à procura de melhores condições de vida. “Graças a Deus todos foram bem encaminhados, e são pessoas do bem”, afirma.

De jeito calmo Euzébio conta que o segredo da vida é “não esquentar a moringa”, e com sorriso sincero explica que a vida o ensinou a ser pai. “Fui criado assim, com instinto de casar, ter filhos, ser pai e ter família grande. Lembro muito na juventude, depois de sair do exército ouvir a música ‘levo o teu gado e vai pensando no teu bem, de tardezinha quando eu venho pela estrada, a fiarada tá todinha a me esperar’, e eu imaginava isso e pensava no futuro”, lembra Euzébio cantando os versos da música Boiadeiro, de Luiz Gonzaga.

Seu Euzébio não reclama da vida, ainda muito lúcido e amante da leitura vive de forma pacata no interior, junto da esposa e dos dois filhos, Flavio e Luiz, que precisam de cuidados especiais. Ainda jovens, os filhos que atualmente tem 43 e 52 anos respectivamente, descobriram a ataxia cerebelar, que os fez perder a coordenação dos movimentos musculares voluntários. A doença é genética e com o tempo comprometeu o sistema nervoso. “O Luiz até os 18 anos teimava em trabalhar, ele se pendurava no arado e conseguia ajudar, mas ambos acabaram na cadeira de roda por volta dos 20 anos”, lamenta o pai.

Os filhos que se comunicam com certa dificuldade, devido à doença, contam que o pai sempre os cuidou muito bem, e com o bom humor que parece ser natural da família dizem que mesmo tendo sido rígido, o pai os conduziu pelo caminho do bem. “E ainda cozinha muito bem”, brinca Flavio.

Seu Euzébio afirma que a assistência que ele e a esposa, Maria, prestam aos filhos é algo que pais devem fazer. “De noite temos que ver se estão cobertos, vestir a roupa, ajudar na alimentação”, exemplifica o patriarca afirmando que tudo isso só é possível devido a dedicação de sua esposa. “Ela é minha companheira para tudo”, diz convicto.

O agricultor ensina ainda que o maior aprendizado repassado para os filhos foi sempre ser honesto e falar a verdade. “Sempre falei para eles que mentira tem perna curta, eu já falhei com eles, pois muitas vezes fui bruto, mas sempre foi pensando em educar, porque até melancia eles já roubaram”, lembram todos, as gargalhadas.

A fé também sempre foi aliada da família Della Flora. “Fui ministro da igreja por 30 anos, sempre tive muitas amizades, e tenho muito fé em Deus, que sempre nos protegeu”, afirma Euzébio que falando sobre Deus lembra do falecido pai. “Tenho muita lembrança deles, eram entendidos, como se dizia antigamente”, finaliza emocionado. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »