16/05/2018 às 10h36min - Atualizada em 16/05/2018 às 10h36min

Vereador se manifesta sobre condenação

Robson Ramos (PT) declarou ao Jornal Sentinela que está tranquilo e vai buscar provar sua inocência

O vereador Robson Ramos (PT) de Campo Erê se manifestou sobre a decisão da Justiça Eleitoral que o condenou à perda do mandato e ao pagamento de multa de R$ 63 mil. “Estou tranquilo, surpreso com a decisão. Nunca cometi crime algum. O caso está com os advogados e espero o mais rápido possível provar minha inocência e esclarecer os fatos”, declarou.

Entenda o caso

A Justiça Eleitoral decretou a perda de cargo e prisão de cinco anos em regime inicialmente semiaberto ao vereador Robson Ramos (PT), de Campo Erê, pelo crime de transporte ilegal de eleitores nas eleições de 2016. Também foi condenada pelo mesmo crime uma funcionária dele, Cleosi Derussi.

A denúncia foi encaminhada pelo Ministério Público Eleitoral. A sentença decretou a perda do cargo do vereador, que ainda foi condenado à pena de cinco anos de prisão e pagamento de multa de R$ 63 mil. Já Cleosi deverá pagar R$ 19 mil e teve a pena revertida para quatro anos de serviços comunitários.

Na ação, a Promotoria Eleitoral que atua perante a 69ª Zona Eleitoral de Santa Catarina sustentou que em 2016, Robson, na época candidato à vereador, mandou sua funcionária Cleosi transportar eleitores no dia das eleições com o carro do candidato, que estava adesivado com o número do político e continha santinhos em seu interior. Conforme o Ministério Público, intenção era obter vantagem eleitoral.

De acordo com o Ministério Público Eleitoral, o vereador e sua funcionária infringiram o art. 5 da Lei n. 6.091/74, a qual prevê que nenhum veículo ou embarcação está autorizado a fazer transporte de eleitores entre o dia anterior e posterior às eleições, com ressalva apenas nos seguintes casos: à serviço da Justiça Eleitoral; em coletivos de linhas regulares e não fretados; em veículos de uso individual do proprietário, para o exercício do próprio voto e dos membros da sua família; ou a serviço normal, sem finalidade eleitoral, de veículos de aluguel. A pena prevista para este crime é de reclusão de quatro a seis anos, e pagamento de 200 a 300 dias-multa.

Diante dos fatos e provas apresentados pelo Ministério Público, a Justiça Eleitoral condenou Robson a cinco anos de prisão - em regime inicial semiaberto. Como a decisão é de primeiro grau e passível de recurso, a pena não tem aplicação imediata. Os advogados do vereador estão recorrendo da decisão.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »