25/07/2018 às 10h57min - Atualizada em 25/07/2018 às 10h57min

Palma Sola investindo em saúde

Informativo da Prefeitura de Palma Sola

As plantas medicinais, os fitoterápicos e os medicamentos homeopáticos têm sido utilizados na saúde pública do país desde a década de 80. Entretanto, em 2006, a partir de recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), houve um grande impulso para utilização desses recursos terapêuticos no Brasil, com a publicação de duas políticas nacionais – a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS (PNPIC) e a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos (PNPMF).
A partir desta última, foi criado o Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos e o Comitê Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. Essas ações tem como objetivo ampliar as opções terapêuticas oferecidas aos usuários do SUS. Pensando nisso a Secretaria de Saúde de Palma Sola está começando a desenvolver o programa Farmácia Viva.
A secretária de Saúde, Débora Prevedello, explica que como uma das primeiras ações realizadas no município aconteceu uma palestra sobre plantas medicinais que reuniu a população no centro de convivência dos idosos. “Eu gostaria de agradecer a toda a população que participou da palestra, foi um momento produtivo e proveitoso para todos”, destacou.
Conforme a secretária, a palestra veio para iniciar as ações do projeto Farmácia Viva ou Farmácia da Natureza que está sendo implantado neste ano. “Essa é uma prática integrativa complementar que ganha cada vez mais atenção do Ministério da Saúde. Por isso que estamos levantando essa nova proposta com o objetivo de resgatar um pouco do saber popular e unir com o científico pra usar as plantas medicinais e promover saúde”, afirma.
A secretária destaca que esse é um investimento que começa a dar resultados a médio e longo prazo, já que é preciso reestabelecer novamente na cultura das pessoas a utilização das plantas de forma medicinal. “Mesmo sendo um projeto de médio e longo prazo ele traz resultados surpreendentes aos problemas de saúde, promovendo qualidade de vida de forma natural. É uma forma de fazer saúde investindo em conhecimento”, salienta.
A palestra foi apenas o primeiro momento para começar a abordar o tema. “Ouvimos elogios e todo mundo que esteve presente gostou. A participação da população é fundamental e a partir de agora vamos dar continuidade a todo o projeto promovendo mais ações para o benefício de todos”, finaliza.
Conforme o Ministério da Saúde a aplicação de projetos como esse é uma importante estratégia para melhorar a atenção à saúde da população e à inclusão social.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »