13/03/2019 às 09h43min - Atualizada em 13/03/2019 às 09h43min

Inicia prazo para declarar o IR

Leandro Beltrame dá dicas de como se organizar para fazer a declaração e não cair na malha fina

O momento de acertar as contas com o Leão chegou: até 30 de abril, deve-se fazer e enviar a declaração do Imposto de Renda (IR) do ano base 2018. Neste momento, muitas pessoas ficam apreensivas ou nervosas, deixando o compromisso para a última hora. Muitos contribuintes, inclusive, esquecem de fazer a declaração de IR, o que gera multa, além de ocasionar outras complicações. “Por isso, ao fazer a sua declaração anual de IR, é importante que se tenha em mente de que necessita, antes de mais nada, de organização e planejamento”, explica Leandro Beltrame, do escritório de contabilidade Tecnicon em Campo Erê.

Leandro detalha que se organizar ao longo do ano é uma das coisas que ajuda a ter os documentos certos em mãos na hora da declaração. “Primeiramente, para que você possa fazê-la com mais tranquilidade e ordem, é importante que, ao longo do ano, escolha um local de fácil acesso e nele separe uma gaveta ou um envelope, onde irá guardando documentos exigidos para que, no momento exato, tudo fique a sua disposição”, explica.

São necessários:
A declaração de seus rendimentos do ano anterior, no caso o ano base 2018;
Despesas médicas e odontológicas, suas e de seus dependentes legais;
Despesas escolares, suas e de seus dependentes legais;
Doações a instituições com a possibilidade de deduções legais;
Comprovantes de aluguéis, se esse for o seu caso; 
Comprovantes de contribuições de Previdência Privada somente na modalidade PGBL – Programa Gerador de Benefício Livre.
Os “CPFs” de todos os dependentes, independente de idade, deverão ser informados na declaração.

É importante que você não deixe para a última hora, pois com a pressa muitas pessoas acabam cometendo erros “bobos”, como inverter valores ao digitar os dados. Aliás, esse tem sido um dos maiores problemas de quem tem caído na malha fina. “Se sua declaração for simples, é possível realizar pela internet, mas o recomendável é que se procure a ajuda de um profissional, em escritórios de contabilidade, para evitar erros e dores de cabeça”, enfatiza Leandro.

Precisa fazer a declaração quem recebeu rendimentos tributáveis (como salário, aposentadoria, aluguel) acima de R$ 28.559,70 no ano anterior; Se recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados na fonte acima de R$ 40 mil; Quem possuir bens superiores a R$ 300 mil; Se teve receita superior a R$ 142,798,50 com atividade rural; Quem realizou operações na Bolsa de Valores.

Para você que é MEI – Microempreendedor Individual, são exercidos dois papéis, o de empresário e o de cidadão. Por isso, deve fazer tanto a declaração de Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF) como para Pessoa Jurídica (IRPJ). “Além disso, é sempre bom lembrar que quanto mais cedo fizer a declaração, mais rápido receberá a restituição se for o caso. Em caso de dúvidas basta nos procurar que estamos prontos e preparados para ajuda-los com a declaração”, finaliza Leandro.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »