15/04/2019 às 08h36min - Atualizada em 15/04/2019 às 08h36min

Mais uma turma conclui o programa Alfa Jovem

Dia 3 de abril 32 jovens entre 16 e 30 anos concluíram o curso que capacita e desenvolve lideranças cooperativas

Dia 3 de abril foi promovido em Palma Sola, no Extremo Oeste de Santa Catarina a conclusão de mais um programa Alfa Jovem. Segundo o coordenador dos cursos de educação promovidos pela Cooperalfa, Genuir Parizotto, o programa Alfa Jovem existe desde 2010 alicerçado em três eixos: Cooperativismo, Agronegócio e Liderança.

“Uma cooperativa vai muito além da questão econômica, ela tem pilares na sustentabilidade e compromisso com a evolução das pessoas. A Alfa trabalha neste sentido, através deste programa instruímos o jovem a falar com a família sobre sucessão familiar, incentivamos o jovem a ficar no campo, a tocar o negócio como uma empresa rural, usando a tecnologia a seu favor” explica Parizotto.

Dos 38 jovens que iniciaram o curso disponibilizado a custo zero pela Alfa, 32 concluíram. O curso iniciou em abril de 2018, foram 230 horas, dividias em 26 aulas estudando disciplinas que se entrelaçam tratando de relacionamento familiar, sucessão familiar, gestão rural, empreendedorismo, gestão financeira entre outras. “Muitos destes jovens vivem e trabalham numa propriedade com patrimônio de mais de R$ 1 milhão. Eles precisam saber disto. Queremos que eles olhem para o agronegócio e percebam que ali está a oportunidade de ganhar dinheiro e ter qualidade de vida ao mesmo tempo” afirmou o gerente da unidade da Alfa de Palma Sola, Leonir Piovezan.

Como conclusão deste curso os 32 jovens se dividiram em sete grupos e apresentaram trabalhos muito semelhantes a TCCs de faculdades. Trabalhos orientados por Karla Szymanski que seguiram metodologia acadêmica tanto na aplicação de questionários, pesquisa, análise de resultados, plano de negócio e conclusão da viabilidade ou não daquilo que estavam propondo.

Ainda na manhã do dia 3 de abril os sete grupos fizeram uma breve apresentação do trabalho e de como foi participar do programa Alfa Jovem. Todos, sem exceção, gostaram e agradeceram a oportunidade de participar do programa.

Os jovens trouxeram emocionantes depoimentos sobre o curso e como este ajudou-os a conversar com a própria família questões de sucessão do negócio, gestão financeira, planos para o futuro, e até mesmo entender porque os pais trabalharam tantos anos de uma determinada maneira.

O encerramento do programa contou com os instrutores do Alfa Jovem, técnicos da Alfa, gerente da unidade de Palma Sola e também do vice-presidente Cládis Jorge Furlanetto, e do presidente da Cooperalfa Romeu Bet. O prestígio do presidente da cooperativa que já tem 51 anos de história e conta com aproximadamente 20 mi associados também se fez presente no depoimento de Romeu Bet, que com a voz embargada após as apresentações falou:
“Só quem passa pelas dificuldades que nós passamos sabe o significado de ver este trabalho, de entender o depoimento de cada um de vocês. Fico emocionado ao ver vocês contanto que passaram a falar com os pais sobre sucessão familiar, isto é importante. Tem jovem deixando a propriedade pra trabalhar de empregado na cidade e no fim todos perdem. Vejo que vocês aprenderam a lidar e compreender melhor os seus pais, isto é muito bom, afinal, da maneira deles um patrimônio foi construído. Hoje viver no meio rural é tão bom ou melhor que viver na cidade. Passou a época em que os pais davam estudo para que os filhos tivessem uma profissão e fossem trabalhar fora. Os pais continuam preocupados em dar estudo aos filhos, mas hoje esperam que os filhos sejam seus sucessores e apliquem na prática aquilo que estudaram na faculdade. Todo pai quer ver o sucesso do filho. Aproveitem a oportunidade que vocês têm. Vocês estão com a faca, o queijo e a manteiga na mão”.
 
 
Resumo dos trabalhos apresentados:

Avaliação do Nível de Satisfação e Participação dos Associados na Cooperalfa na filial de Palma Sola
Gustavo Castagna, Junior Siqueira, Leandro Michelon Junior, Valéria Bellé e Vanessa Bertol
 
A importância da cooperação vem desde os primórdios da história da humanidade, quando os homens precisavam se unir para enfrentar as dificuldades e lutar por sua sobrevivência, dessa forma a cooperação se evidencia como mola propulsora da evolução do homem e do mundo.

Em resumo o associativismo cooperativista tem por fundamento o progresso social, segundo o qual aqueles que se encontram na mesma situação desvantajosa de competição, conseguem, pela soma de esforços, garantir a sobrevivência. Ajudando também economicamente, reduzindo os custos de produção para obter melhores condições de prazo e preço.

O modelo cooperativista financeiro possui uma filosofia capaz de unir crescimento econômico e bem-estar social, além de influenciar nos ramos da economia do país. O cooperativismo agropecuário tem uma grande participação na economia brasileira, sendo responsável por quase 50% do PIB e envolvendo mais de 1 milhão de pessoas.

O objetivo do trabalho foi investigar o nível de participação e satisfação dos associados da Cooperalfa. Foi realizada uma pesquisa com 41 dos 270 associados da filial de Palma Sola, e com isso, foi possível chegar aos seguintes resultados: Em sua maioria os associados possuem uma área com média de 10 a 30 hectares, sendo, 91% com propriedade própria. A principal atividade dos produtores é a produção leiteira, seguindo da agricultura, o que rende em média um faturamento anual bruto de R$ 50 a R$ 150 mil. Destes associados 90% não conhecem ou conhecem em partes o estatuto da Cooperalfa. Podemos analisar também que 93% dos associados comercializam em partes ou não comercializam com a cooperativa.

Os associados da Cooperalfa, avaliam como bom o atendimento dos técnicos, porém, 83% deles não pagaria nada pela assistência. Os entrevistados avaliam como bom o atendimento administrativo da filial. 98% dos associados não sabem em quanto aumentou sua cota capital no último ano e não saberiam quanto iriam ganhar a mais de sua cota capital se tivessem comercializado 100% do seu movimento.

Com a pesquisa finalizada foi possível reunir informações e concluir que todos os objetivos do projeto foram alcançados, através dessa pesquisa o que mais chamou a atenção é que, de modo geral, os associados são participativos nos eventos da Cooperalfa, porém a busca por informações na filial de Palma Sola por meio dos jornais e revistas é muito baixa. De modo geral, os associados estão satisfeitos com o trabalho da Cooperalfa na região. Esse questionário tem uma grande importância para a cooperativa porque por meio dele é possível saber onde os associados ou a cooperativa estão falhando ou acertando, assim através das respostas obtidas, será possível melhorar ainda mais o relacionamento entre ambos e contribuir para o crescimento geral.
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »