20/04/2019 às 09h39min - Atualizada em 20/04/2019 às 09h39min

Palma Sola realiza vacinação contra Febre Amarela

O dia D da campanha foi no último sábado, mas as vacinas continuam disponíveis no Posto de Saúde para quem quiser se imunizar

No último sábado, dia 13, foi realizado na Unidade Básica de Saúde de Palma Sola, o dia D de vacinação contra a febre amarela. A enfermeira Edite Cirino destaca que essa foi uma ação do município, em virtude da necessidade de imunizar a população, uma vez que o vírus da febre amarela está circulando em Santa Catarina.

Ela destaca que o vírus é transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti, o mesmo que também transmite dengue, chikungunya e zika vírus. “Então, pedimos que a população que não conseguiu se vacinar no sábado, compareça na Unidade Básica de Saúde e faça a vacina, uma vez que ainda temos doses disponíveis. Pedimos também para que cada um faça sua parte no combate à proliferação do mosquito, já que o município de Palma Sola é considerado infestado”, afirma.

Conforme a enfermeira, como o mosquito já circula no município, se alguma pessoa infectada com a Febre Amarela for picada por ele, a doença pode se espalhar. “Dessa forma o risco de contaminação é grande, já que temos muita circulação de pessoas de fora aqui, e também de munícipes que vão para outras cidades”, enfatiza.

Para se vacinar basta procurar a Unidade de Saúde portando o cartão do SUS e a caderneta de vacina. “Na hora de fazermos a da febre amarela já damos uma olhada para ver se há alguma outra imunização atrasada que precisa ser feita. Lembrando que é preciso pelo menos uma dose da vacina para a pessoa se considerar imunizada”, afirma.
A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive), vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde (SUV), da Secretaria de Estado da Saúde, confirmou o registro da primeira morte de macaco por febre amarela no Estado. A coleta do material para análise foi feita no dia 20 de março, após um morador encontrar o macaco, da espécie bugio, morto em uma área de mata no município de Garuva, no Norte do Estado.

Os macacos não transmitem a febre amarela. Eles são vítimas da doença e sinalizam a circulação do vírus na região. Por isso, ao encontrar um macaco doente ou morto, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) deve ser comunicada imediatamente.

De acordo com o gerente de zoonoses da Dive, João Fuck, o vírus está circulando pelo Estado. “Precisamos trabalhar em conjunto, notificando situações de macacos mortos ou doentes e reforçando as estratégias de vacinação, melhor forma de prevenção da doença”, esclareceu.

Em 28 de março de 2019, Santa Catarina já havia confirmado o primeiro caso de febre amarela autóctone (contraída dentro do Estado) em humano com morte. O paciente era um homem de 36 anos que não havia se vacinado. Ele morava em Joinville, no Norte do Estado. Por isso, Maria Teresa Agostini, diretora da Dive, reforça o pedido: “Todas as pessoas acima de 9 meses devem procurar uma sala de vacina para receber a dose que protege contra a febre amarela para a vida toda”, finaliza.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »