29/05/2019 às 08h26min - Atualizada em 29/05/2019 às 08h26min

Santa Catarina receberá sete ambulâncias para o Samu

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de Santa Catarina irá receber sete ambulâncias do Ministério da Saúde. Os carros não irão ampliar a frota e sim, renovar. A decisão foi anunciada nesta semana e contempla as cidades de Chapecó, a única a receber dois veículos, Palhoça, Pomerode, São José do Cerrito, e Tubarão.

A Secretaria de Estado da Saúde também receberá um veículo. A previsão é que as novas ambulâncias devem chegar ao Samu do Estado em até 60 dias.

O gerente do Samu, coronel Giovani Kemper, afirma que esse é um processo natural e necessário de renovação. Ele explica que a frota do Estado conta com 96 Unidades de Suporte Básico e que essa substituição de sete viaturas faz parte de um cronograma de operação para manter a segurança.

Kemper diz ainda que o Estado está trabalhando na renovação das Unidades de Suporte Avançado.

— Muito em breve estaremos recebendo 18 novas viaturas deste modelo. Hoje nós temos um total de 23 nas principais cidades do Estado. São ambulâncias que operam com médico e enfermeiro a bordo. A expectativa é que todas estejam funcionando até o fim do mês — afirma Kemper.

O prazo estipulado pelo governo federal é que as ambulâncias doadas estejam vistoriadas e disponíveis em até 60 dias para retirada na cidade de Sorocaba, em São Paulo. A entrega é realizada somente depois que o prefeito de cada município assinar o Termo de Doação do veículo e encaminhar ao Ministério da Saúde, para posterior publicação no Diário Oficial da União.

O Ministério da Saúde afirma que para renovar os veículos são considerados critérios como o tempo de uso e funcionamento regularizado do serviço. Toda a frota com mais de cinco anos de uso, sem renovação anterior e que não possua irregularidades, pendências ou ocorrências nos órgãos de fiscalização poderá ser trocada, de acordo com o governo federal.

Já para ampliação, expansão e implantação, os critérios são o número de atendimentos do Samu que já são feitos nos municípios que possuem o serviço e querem ampliar. Para esses casos, considera-se a população mínima de 12,5 mil habitantes.

Os pedidos com os projetos e pactuações locais devem ser feitos pelos estados e municípios ao Ministério da Saúde, que avaliará cada caso.

Fonte: NSC TOTAL


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »