04/07/2019 às 08h18min - Atualizada em 04/07/2019 às 08h18min

Antigo hospital foi arrematado em leilão

Toscan Empreendimentos e Ivanildo Brassiani compraram o antigo Hospital Nossa Senhora Aparecida de Campo Erê

A estrutura do antigo Hospital Nossa Senhora Aparecida de Campo Erê foi arrematada em um leilão em fevereiro desse ano. Os compradores são o grupo Toscan e o advogado Ivanildo Brassiani, de Anchieta. A estrutura de 2.900 m² de construção avaliada em R$ 1,8 milhões foi adquirida por um lance de 30% do valor, sendo arrematada por aproximadamente R$ 550 mil.
Ivanildo advogado e sócio proprietário do imóvel em Campo Erê lembra que o espaço foi a leilão por diversas vezes e em nenhuma delas foi arrematado. O antigo hospital não teve contas pagas por isso foi decretado massa falida no espólio do já falecido Dr. Áureo Schneider. Ivanildo explica que, com a morte do médico Áureo, a estrutura ficou abandonada e não foi mais paga nenhuma conta de água, luz, impostos, além de dívidas no Banco do Brasil. Diante disso, houve, por parte do judiciário, a decretação de falência. Desde que foi anunciada massa falida, os administradores não fizeram mais ações de preservação no local e com o estado de abandono algumas pessoas invadiram o espaço cometendo atos de vandalismo, além de furto de portas, objetos e equipamentos.
Novos donos do antigo hospital procuram amparo judicial para reaver equipamentos furtados de dentro do imóvel. Ivanildo Brassiani, advogado e sócio do espaço, conta que registraram boletins de ocorrência a fim de responsabilizar os envolvidos. Ele diz que existem filmagens de pessoas levando os objetos de dentro do antigo hospital. Porém, mesmo com os BO’s registrados esperam que essas pessoas devolvam os objetos, caso contrário, serão responsabilizadas perante à justiça.
Sobre o que será feito com a nova estrutura Brassiani ressalta que estão esperando a carta de arrematação do judiciário, e assim que a documentação estiver em mãos será decidido o futuro da estrutura. Ele detalha que está sendo realizado um estudo de viabilidade para identificar qual o melhor destino para a estrutura, que precisará passar por uma reforma. “São 2.900 m² de construção, e embora danificada a estrutura é muito boa, foi construída de forma bem reforçada. Então precisamos apenas decidir o que fazer, temos algumas opções como reformar e alugar o espaço para que volte a ser um hospital, ou construir um hotel, uma fábrica, estamos abertos a pessoas que queiram negociar. O pessoal da Azuris de Marmeleiro parece que precisa de um espaço com cerca de 80 quartos para alojar os atletas em treinamento, então são todas opções que precisam ser analisadas”, afirma.
A reforma será feita conforme a escolha do empreendimento que será feito no local. Os compradores acreditam que uma reforma na estrutura precise de pelo menos R$ 2 milhões de investimentos em sistema hidráulico e elétrico, e readequação da estrutura como telhado e melhorias na estrutura. “Reformado custará em torno de 4 milhões. Para construir precisaria de algo entre R$ 8 milhões a R$ 10 milhões. O que nos motivou a fazer o arremate foi o preço viável. Além disso, precisamos acreditar na região, e nós acreditamos. A pergunta era: por que não investir aqui?”, finaliza.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »