17/08/2019 às 10h25min - Atualizada em 17/08/2019 às 10h25min

Bombeiros comunitários receberão por serviços

Desde o dia 1º de agosto o Corpo de Bombeiros pode indenizar bombeiros comunitários, que trabalham nas equipes de plantão

Desde o dia 1º de agosto o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC), pode indenizar Bombeiros Comunitários, que trabalham de forma voluntária, para a atuação nas equipes de plantão. O decreto havia sido sancionado pelo governador Moisés ainda em junho e regulamenta a lei 17.202 de 2017 que fala sobre a prestação do serviço voluntário nas atividades de atendimento pré-hospitalar, combate a incêndio e busca e salvamento, em apoio ao CBMSC.
O comandante geral do Corpo de Bombeiros no Estado, coronel Charles Alexandre Vieira comemorou a mudança. “A partir de agora todos os quartéis, em todos os recantos de Santa Catarina poderão contar com dois bombeiros comunitários, por dia, complementando as equipes de plantão e nós possamos a levar um serviço ainda melhor para a população”, afirmou.
Indenização
O serviço segue voluntário e terá os ressarcimentos limitados a dois profissionais ao dia, instituídos pelo comando de cada OBM. Além dos valores para auxílio em transporte e alimentação, também fica estabelecido o seguro saúde, extensivo a todos os bombeiros comunitários em serviço, no entanto não há vínculo empregatício. De acordo como decreto fica fixado o ressarcimento das despesas, nos seguintes moldes:
R$ 37,50 para o turno de serviço de 4 a 8 horas;
R$ 75,00 para o turno de serviço superior a 8h, seguindo até 16h.
R$ 150,00 para turno de serviço superior a 16h seguindo até 24h.
Em Palma Sola a primeira turma de bombeiros comunitários foi formada em 2005. No município a ideia é que cada bombeiro comunitário preste dois plantões mensais de 24h de serviço. “Ainda precisamos ajustar nosso quadro de bombeiros comunitários para estipular como deve ficar a prestação do serviço. Hoje temos 34 bombeiros comunitários atuantes e nossa ideia é aumentar esse quadro”, explica o bombeiro Gilson de Lara.
Ele destaca ainda que o recurso para ressarcir os serviços prestados pelos bombeiros comunitários virão do Governo do Estado para os bombeiros. “Esse dinheiro já está na conta, portanto, quem prestar serviço no mês de agosto irá receber pelas horas trabalhadas”, salienta.
O comandante do Corpo de Bombeiros de Palma Sola, Sargento Ramalho, enfatiza que com isso o que se espera é que os bombeiros comunitários atuem para auxiliar na prestação de um serviço de mais qualidade para a população. “A Coordenaria Geral do Estado espera que os voluntários trabalhem com mais efetividade, com mais compromisso para trabalhar já que estão sendo ressarcido. Além disso, pretendemos aumentar a quantidade de treinamento oferecido à eles”, afirma.
De Lara destaca ainda que para municípios pequenos, como Palma Sola, é o trabalho desenvolvido pelos bombeiros comunitários que viabiliza a atuação dos bombeiros, visto que o efetivo é reduzido, e que além das ocorrências o Corpo de Bombeiros é atuante em outras ações na comunidades o que demanda pessoal para desempenhar todas as funções. “Aqui em Palma Sola somos em oito bombeiros militares, trabalhando normalmente em escalas de dois, portanto, somente com o efetivo militar não conseguiríamos atuar da forma como trabalhamos hoje”, enfatiza.
Na região de Palma Sola as principais demandas de serviço para os bombeiros é o atendimento pré-hospitalar. “E nesse tipo de situação que o bombeiro comunitário consegue atuar muito bem auxiliando na ocorrência”, salienta de Lara.
Novas turmas
Em Palma Sola há previsão de abrir em setembro mais uma turma do curso básico de atendimento à emergência. O comandante Ramalho explica que após passar pelo curso básico o voluntário realiza o curso avançado e então passa a atuar na corporação. “Mas em breve vamos definir cronograma, datas e iremos repassar mais informações à comunidade interessada”, finaliza Ramalho.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »