30/04/2020 às 17h31min - Atualizada em 30/04/2020 às 17h31min

São José do Cedro declara situação de emergência

Assessoria
O Prefeito de São José do Cedro Plinio de Castro assinou na tarde desta quinta-feira, 30, o decreto de situação de emergência em decorrência da estiagem que afeta a região.
A estiagem caracteriza-se por um período prolongado de baixa ou nenhuma pluviosidade, em que a perda da umidade do solo é superior à sua reposição.  
Segundo o Prefeito, a decisão sobre o decreto de situação de emergência se deu após reunião realizada na manhã da última quarta-feira, 29, entre os membros do Conselho Municipal de Defesa Civil.
_“O decreto se fez necessário considerando a necessidade de adoção de medidas frente a crise hídrica que vem causando prejuízos no fornecimento de água para consumo humano, agropecuário e agricultura, além disso, levamos em consideração também o grave risco à atividade econômica e a necessidade de renegociação de dívidas por parte dos produtores”, _ explicou Plinio.
O Prefeito lembrou ainda que, com a municipalização do sistema de água, há 05 anos, foi amenizado consideravelmente os impactos com a estiagem, isso em comparação com alguns municípios da nossa região. 
“Até o momento estamos auxiliando com água potável para consumo humano, apenas 05 famílias no interior do nosso município e mais 10 propriedades estão sendo auxiliadas com agua para consumo dos animais. Esse número é muito baixo, se compararmos com anos anteriores. Isso graças às redes de abastecimento executadas em comunidades onde a falta de água era histórica, como a região da São Roque, Linha Chaleira, Monte Castelo, comunidades do assentamento e outras. No momento, estamos em execução uma obra de abastecimento também na comunidade da Linha Tigre. Os trabalhos são realizados pelo SEMAE com recursos próprios e com a participação dos agricultores”, disse Plinio. “Além disso, desde que o município assumiu o sistema de água, isso há 5 anos, não registramos falta de água na área urbana de São José do Cedro. Estamos confiantes de que que não teremos problemas com o abastecimento na sede do nosso município, já que o Rio de onde captamos a água para nossos reservatórios, ainda possui um volume considerável, por outro lado, os serviços de máquinas com retroescavadeira e escavadeira hidráulica para limpeza de bebedouros e ampliação dos reservatórios de água para o consumo dos animais no interior, estão intensos”, finalizou. 
Desde o dia 13 de abril não ocorre precipitação para auxiliar as culturas e a manutenção do lençol freático. Segundo informações repassadas pela EPAGRI, até o momento o município já teve perda de 1.100.000 litros/mês de leite, 800 toneladas de milho em grão safrinha, 5.390 toneladas de milho para silagem, 75 toneladas de feijão e 120 toneladas de soja.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »