13/05/2020 às 13h55min - Atualizada em 13/05/2020 às 13h55min

Apae de Anchieta busca outras formas de arrecadações

Com o cancelamento do tradicional Café Colonial, devido a pandemia, a instituição está buscando outras formas de arrecadar recursos para a manutenção das atividades

Em decorrência do cancelamento do tradicional Café Colonial em Anchieta, sendo a principal promoção de arrecadação, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), precisou buscar outras medidas que pudessem ajudar a instituição. Foi feito uma campanha de fortalecimento das doações, método já usado para a arrecadação de alimentos, onde agora, será apenas em dinheiro – enquanto as aulas estão suspensas.
De acordo com a diretora do educandário, Ione Prezotto, a associação contava com o dinheiro do Café, que poderia passar de R$ 22 mil. “O valor que angariamos com essa promoção garante o pagamento de algumas despesas e taxas da Apae. Pra muita coisa não vem dinheiro do estado e do município”, destaca ressaltando que os professores são pagos pelo Estado e os profissionais de saúde são pagos pelo SUS, mas outros funcionários que trabalham na escola são pagos com recursos da APAE.
“Da prefeitura vem o recurso para ser pago as merendeiras, o motorista e também o telefone, mas ainda falta para outros. Por mais que conseguimos arrecadar com outras coisas, o valor do café é muito importante. Por isso lançamos essa campanha de doação em valor, que será usada para as contas e funcionamento. Além disso, futuramente, será usado para compra de alimentos, pois não recebemos do estado e junto das doações de alimentos que já recebemos, podemos administrar essa causa, proporcionando aos nossos alunos a alimentação”, explica Ione.
A campanha iniciou na semana passada e tem previsão de durar o ano todo, pois não está liberado a realização de eventos ou promoções que aglomerem pessoas. As doações em dinheiro podem ser feitas por meio de depósito nas contas da instituição (Banco do Brasil - ag. 1439-7, C/C 210.325-7 / Banco Sicoob – ag. 3039, C/C 31.945-7), onde o recibo pode ser emitido e retirado na escola.  
 
Atividades online
A Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE) tem orientado a escola anchietense em relação as atividades não presenciais com os alunos e também com os profissionais – que são contratados pela Fundação. Segundo a diretora Ione, a orientação é que seja realizado o trabalho remotamente, inclusive capacitação. “Desde o dia 1º de abril estamos enviando mensagens por meio de grupos do WhatsApp e telefonando aos alunos, onde postamos e auxiliamos as atividades diárias”, conta.
Ione, junto da secretária Fernanda, está se deslocando todas as tardes para o trabalho administrativo dentro da Apae. “Mesmo não trabalhando presencialmente, os relatórios das atividades precisam ser mandados para a fundação. Os professores mandam todo o planejamento e execução, e eu realizo o relatório e envio a eles; esta é uma forma de mostrar que estamos realizando as atividades”, conclui a diretora.
“Ainda não estamos mandando apostilas impressas para os alunos, mas estamos conversando sobre isso. Os alunos especiais têm mais dificuldade, em muitas famílias não podemos distribuir esse tipo de material, pois não sabem ler e não saberão auxiliar o aluno. Por esse motivo estamos indo por meio de ligações e mensagens de áudio”, ressalta enfatizando as ligações diárias para todos os alunos para verificar como estão e sempre que necessário, emitindo receitas para que todos possam retirar os medicamentos que precisam na unidade básica de saúde.
“Eu emito as receitas e deixo na portaria da unidade de saúde, onde as famílias podem retirar. Temos 58 alunos matriculados; 48 para o pedagógico e para a equipe de saúde e 10 para o atendimento com a saúde. Desses, 13 não possuem internet em casa, nestes casos ligamos para mantê-los informados. No momento, estamos fazendo o possível para continuarmos próximos aos nossos alunos”, finaliza Ione.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »