15/12/2020 às 10h59min - Atualizada em 15/12/2020 às 10h59min

“Minhas plantinhas estão secas e feias; tadinhas”

A afirmação é da agricultora Lurdes Peron, da Linha Gaúcha, interior de Flor da Serra do Sul, ao olhar para suas flores

Da redação
Assim como para todos os seres vivos, a água é de suma importância para o desenvolvimento e bem-estar, e com as plantas não é diferente. O longo período de estiagem está afetando diretamente a floricultura, que está sofrendo com o calor excessivo e ficando sujeita a ataques de pragas, doenças e ácaros, além da desidratação, que não é só na produção, mas também ao longo do processo de transporte, por exemplo, afetando não só a qualidade, mas também a durabilidade do produto.
As plantas mais sensíveis ao calor e aquelas que apresentam uma necessidade maior de água são as que mais sofrem neste período, e com as altas temperaturas podem apresentar folhas queimadas ou secas (Impatiens e Crisântemos, por exemplo). As plantas verdes, ou seja, aquelas sem flores, são as mais resistentes e no entanto, algumas espécies também estão sendo bastante afetadas, principalmente aquelas que necessitam de temperaturas mais amenas para se desenvolver. Em termos comerciais, não houve uma influência direta, pois o calor propicia o aumento no número de plantas (volume) uma vez que estimula seu crescimento.
 
“Secas e feias”
Essa é a afirmação da agricultura Lurdes Rimoldi Peron, da Linha Gaúcha, interior de Flor da Serra do Sul, ao olhar para suas flores. Aos 52 anos, relata que possuía mais de 200 espécies plantadas até a chegada da estiagem. “Como estamos sofrendo com essa seca e com a falta d’água, minhas flores acabaram ficando de lado, porque damos preferência a casa e aos animais. Acredito que tenha apenas umas 20 mudas floridas e bonitas, enquanto o restante está seco e feio”, comenta.
Apaixonada pela floricultura, Lurdes relembra que aprendeu com a mãe a cuidar e amar esse setor, e com o tempo, a paixão só aumentou, refletindo na sua propriedade, que é um verdadeiro canteiro de flores. Segundo ela, esse resultado negativo também coincide com a época de floração, já que neste período todas as plantas ficam sensíveis à luz e precisam de cuidados específicos. “Faço bastante troca de mudas com minhas amigas, muitas que eu tenho a gente troca por algumas que elas tem. Tenho uma paixão por todas, mas as orquídeas são o diferencial, tenho mais de dez espécies diferentes. Além disso, tenho muitas variedades de cactos”, frisa.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »