19/12/2020 às 11h15min - Atualizada em 19/12/2020 às 11h15min

Medo do Covid-19 inibe doações de sangue

O ato que salva vidas foi abalado pela pandemia, mas o grupo de doadores de Anchieta continua intacto e progredindo

Da redação
Para ser um herói, não é preciso praticar feitos espetaculares como o super-homem ou a mulher-maravilha. Atitudes simples, muitas vezes, são atos definidores. Após o Dia Mundial do Doador de Sangue, o heroísmo genuíno, de solidariedade, começou a tomar forma diante dos desafios impostos pela pandemia. Mas com a realização de campanhas sobre esse hábito, muitos profissionais relataram que ‘o medo do Covid-19 inibiu as doações de sangue’, que está em baixa nos hemocentros.
Atualmente, 16 a cada mil habitantes são doadores de sangue no Brasil. O percentual corresponde a 1,6% da população e está dentro dos parâmetros preconizados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Em 2019, foram coletadas cerca de 3,2 milhões de bolsas de sangue no Sistema Único de Saúde (SUS), contra aproximadamente 3,35 milhões em 2016. Para o tesoureiro da Associação de Doadores de Anchieta, Antônio Benachio, a redução no número de doadores e de hemocomponentes é preocupante.
“É importante que as doações continuem para manter o tratamento de outras doenças em atividade, que não respeitam a pandemia. Além das cirurgias de urgências e também das eletivas, que estão retornando”, comenta esclarecendo que as ações do grupo acontecem em parceria com a Secretaria de Saúde do município.
 
Referência para a região
A Associação foi criada em 2004, por grande parte dos agricultores anchietenses. Hoje, com aproximadamente 300 sócios, o grupo é formado por doadores (que fazem as doações) e colabores (que por algum motivo não podem doar, mas auxiliam). Em meio a redução de doadores provocada pela pandemia, o município segue ativo nas participações. “Poder fazer o bem e ajudar tantas pessoas é gratificante. Hoje, se tivéssemos um hemocentro próximo, com certeza o número de doadores seria maior ainda”, esclarece.
O tesoureiro lembra que Anchieta já foi citada na Voz do Brasil, em rede nacional, ‘como uma cidade pequena, mas com muitos doadores’. “Anualmente, a entidade realizava um evento para arrecadar custos e suprir as despesas inclusas nas mobilizações, mas com a pandemia, não conseguimos realizar. Para o próximo ano, já temos o nosso jantar marcado, no dia 13 de novembro. Em oportunidade, faço o convite para o grupo, pois em fevereiro será feito a troca da diretoria, e que os mesmos possam estar se candidatando”, finaliza.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »