23/10/2015 às 15h46min - Atualizada em 23/10/2015 às 15h46min

No Dia Mundial do AVC, neurologista chama a atenção para os sinais de alerta e fatores de risco da doença

Brasil
Imagem Ilustrativa

Acidentes vasculares cerebrais (AVCs) são a principal causa de óbitos no Brasil e atingem pessoas de todas as idades. No mundo, o AVC é a principal causa de incapacidade, resultando em mais de 100 mil mortes por ano. Por isso, desde 2010, no dia 29 de outubro, a Campanha Mundial de Combate ao AVC busca orientar a população sobre os riscos da doença, os sinais de alerta e as formas de tratamento. A neurologista Gladys Lentz Martins, que atua no Hospital Governador Celso Ramos, em Florianópolis, lembra que o AVC pode ser prevenido e os pacientes têm condições de se recuperar totalmente se receberem suporte adequado.

“É uma doença passível de prevenção, tem tratamento na fase aguda e medidas que podem ser instituídas a longo prazo, havendo necessidade de conscientização da população e dos profissionais de saúde quanto aos fatores de risco e as formas de tratamento”, destaca a médica.

O Hospital Celso Ramos é a única unidade de saúde em Florianópolis estruturada para o atendimento do AVC agudo.  “O objetivo desse trabalho é oferecer um tratamento integral ao paciente com AVC, com atuação de uma equipe multidisciplinar para facilitar a recuperação e diminuir o tempo de internação”, conta Gladys.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »