03/03/2021 às 08h10min - Atualizada em 03/03/2021 às 08h10min

Pelo menos 11 mortes no Grande Oeste por falta de leitos de UTI

Aumentar leitos de UTI não é suficiente. “60% daqueles que internam na UTI por Covid, vem a óbito” afirma o diretor geral do Hospital Regional Terezinha Gaio Basso. Até a manhã de terça-feira, 140 pessoas aguardam por vaga em UTI no Grande Oeste catarinense

Da redação
Desde a semana passada Santa Catarina vive uma situação de colapso na maioria das regiões. Apresentou durante três dias consecutivos alta no índice de ocupação de unidades de terapia intensiva, devido aumento de casos de Covid-19, acarretando assim a lotação e fila de espera nas UTI’s. No final de semana mais de 230 pacientes aguardavam por leitos.
Em coletiva de imprensa na manhã de terça-feira, o diretor geral do Hospital Regional Terezinha Gaio Basso afirmou que o Regional opera na sua capacidade máxima. “Se neste momento alguém chegar aqui infartado, ou vítima de acidente, infelizmente não poderemos atender. Não temos mais capacidade”. A ocupação no HRTGB é de 100% dos 25 leitos de UTI Covid, 100% dos 10 leitos UTI geral e 100% dos 16 leitos de enfermaria.
No último balanço divulgado pelo governo do Estado, a ocupação de leitos adultos era de 95,9%. O índice é levemente maior do que o registrado no início da semana passada, quando havia 95% de vagas ocupadas.
A gravidade da situação se acentua nos casos que aguardam por leitos. Em condições graves de saúde, muitos já intubados, estão sendo mantidos em espaços realocados como enfermaria em leitos improvisados e até em corredores de hospitais. A intubação é necessária quando o paciente tem insuficiência respiratória, ou seja, não consegue respirar espontaneamente, e outras medidas mais brandas não conseguem reverter esse quadro, é um processo que exige muitos cuidados e um monitoramento constante realizado apenas nas UTI’s.
Cinco das sete regiões do Estado apresentam situações críticas, com mais de 95% de leitos ocupados: Meio Oeste e Serra (98,1%), Grande Oeste (98%), Vale do Itajaí (97,1%), Planalto Norte e Nordeste (96,8%) e Sul (95%). A Grande Florianópolis e Foz do Rio Itajaí têm 92% e 94,1% de leitos utilizados, respectivamente, e também enfrentam pressão sobre o sistema de saúde, com relatos de hospitais superlotados e dificuldades para receber e atender novos pacientes.
Em relação as mortes, o Estado teve mais 44 por Covid-19 neste final de semana. Com isso, o total de óbitos por conta da doença desde o início da pandemia já chega a 7.438 em Santa Carina. Já no Paraná 153 pessoas morreram em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus nesta última semana, totalizando assim 11.686 óbitos em todo o estado. O Brasil passa de 256 mil mortes por Covid até este momento.
 
Região circunvizinha
Segundo o último boletim epidemiológico, os seis municípios de circulação do Sentinela contabilizaram mais de dois mil casos. São José do Cedro retorna ao topo da lista, com 656 casos, 145 ativos (1 UTI e 2 em enfermaria) e 6 óbitos. Campo Erê vem logo atrás, com 649 confirmados, 62 ativos e 7 óbitos. Palma Sola, em terceiro, registra 580 positivos, 35 ativos e também 6 óbitos. Anchieta apresenta 308 casos, 23 ativos e 4 óbitos. Já Flor da Serra do Sul, chega aos 269 confirmados, 21 ativos e 4 óbitos. Por último Guarujá do Sul com 121 confirmados, 22 ativos e 4 óbitos.
Até o fechamento desta edição, na manhã de terça-feira, pelo menos 11 pessoas haviam morrido por falta de vaga em leito de UTI, mesmo assistidas e algumas intubadas, cinco pessoas morreram no Regional de São Miguel do Oeste, outras seis morreram no hospital de Xanxerê.
 
Respiradores para Chapecó
Segundo o Boletim Epidemiológico de Chapecó há 321 munícipes internados. O registro de óbitos por Covid-19 chega a 288, sendo 19 ocorridos neste último final de semana. Segundo a assessoria do Hospital Regional de Chapecó muitos pacientes chegam ao hospital em estado gravíssimo, e mesmo não tendo vagas na UTI os cuidados são os mesmos. Procurada pela Redação do Sentinela a assessoria do Hospital de Chapecó não informou se houve mortes por Covid em razão da falta de leitos de UTI, destacaram que esta informação é do prontuário, logo sigilosa.
 Foram recebidos no início desta semana um lote com 20 respiradores pulmonares para Chapecó. Os equipamentos foram transportados por via aérea e serão destinados para o atendimento à população da região Oeste no enfrentamento à pandemia. Além desses entregues pelo Governo do Estado, o Ministério da Saúde também enviará outros 35 respiradores de transporte para suprir as unidades hospitalares da região.
Os equipamentos, do modelo VYaire serão enviados para Chapecó (15 unidades) e Xanxerê (20 unidades), segundo informou a Superintendência do Ministério da Saúde em Santa Catarina.
 
Ventilador Pulmonar modelo VYare IX35
O ventilador iX5 ventila qualquer paciente, desde recém-nascidos a adultos, de forma invasiva e não invasiva. Durável e de alto desempenho, oferece aos profissionais desempenho duradouro e facilidade de manutenção que permitem que os equipamentos se mantenham em uso, com baixo custo total de operação.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »