05/03/2021 às 08h32min - Atualizada em 05/03/2021 às 08h32min

À alguém que me discriminou...

Coluna de opinião do jornal impresso

Da redação
(Esses versos relatam a resposta a uma ofensa feita a autora que é de cor parda e ter sido “abandonada” pela mãe, por uma pessoa que se julgava superior, por ser de família tradicional no município)
 
Na infância bonita
Nos vestidos de chita
Bonecas enfeitadas
Carinho dos pais
Nisso admito, você teve mais
 
Na caminhada contínua que é a vida da gente
Na lista social estavas na frente
Na sociedade que mais vale o nome
Tu tinhas de tudo
Eu passei fome
 
Ganhastes na cor que interessa aos racistas
Eu feia pretinha
Tu branca bonita
Tu tinhas a mãe para aliviar os teus pais
Nisso asseguro: você teve mais!
 
Mas no mundo bonito criado por Deus
Que bem claro: somos todos iguais
Sem discriminação também me elegeu
Perante Ele você não é MAIS
 
E na vida difícil que é nossa sina
Onde a dor purifica
O sofrimento ensina
As experiências vividas nos fazem crescer
Nisso eu garanto: quem perdeu foi VOCÊ!
 
Por Leonita de Souza
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »