22/07/2021 às 13h28min - Atualizada em 22/07/2021 às 13h28min

“Não sou gulosa. Estou aqui para compor”

Coluna de opinião do jornal impresso

Na noite da última segunda-feira, dia 19, acabei participando de uma janta com a vice-governadora de Santa Catarina, Daniela Reinehr. O jantar foi organizado por um grupo que apoiou e trabalhou na eleição de Daniela ainda em 2018. Fui eu e o meu compadre e amigo Luiz Henrique Crestani.
Frequentemente Daniela percorre cidades de Santa Catarina, especialmente no Oeste catarinense, como é de se esperar ela levanta e apura demandas, e diante daquilo que uma vice é capaz de fazer, o faz. Daniela tem uma excelente relação com o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, assim como outras figuras próximas ao presidente da república.
O jantar foi num lugar simples, com público majoritariamente jovem, sem outras figuras políticas, como vereadores e prefeitos da região; como é comum ocorrer nestes casos. A minha conclusão é que Daniela busca um reencontro com suas bases eleitorais. Desde junho de 2020 a relação de Daniela (Sem partido) com o governador Carlos Moisés (PSL) está arranhada. A chapa sofreu dois processos de impeachment e Daniela acabou assumindo o governo por alguns meses nos dois momentos.
Notadamente há uma forte briga por poder. O fato, é que para o Oeste catarinense a presença do Poder Executivo do Estado sempre foi mais forte em Daniela do que em Moisés. Ela é advogada e empresária Rural, nascida e criada em Maravilha. Obviamente conhece a precariedade da infraestrutura no Oeste Catarinense, seja em relação a estradas, hospitais e tudo que tange a presença efetiva do Estado.
Ela e Moisés se elegeram na onda Bolsonaro; contudo Moisés não tem o mesmo alinhamento de Daniela junto ao presidente da república; o que macula ainda mais a relação entre a vice e o governador.
Antes do jantar, reservadamente, a questionei sobre o cenário para o próximo ano. A primeira reação dela foi em não caracterizar campanha antecipada. Obviamente isto já é uma informação a um jornalista; fica claro a intenção em disputar um cargo eletivo.
Já em fala aberta aos presentes, Daniela disse que: “Não sou gulosa, não quero impor nada. Mas quero somar junto a um propósito que esteja alinhado com o nosso presidente Bolsonaro”.
A discurso dela denota humildade e também incertezas. Afinal estamos falando de Santa Catarina, o Estado que percentualmente mais votou em Bolsonaro, mas que ainda não tem consolidado um nome ao governo que esteja associado ao presidente da república.
O fogo amigo faz parte do jogo da política e Daniela busca encontrar bolsões de ar na asfixia imposta por Moisés.

Por Igor Vissotto


Receba as notícias do Portal Sentinela do Oeste no seu telefone celular! Faça parte do nosso grupo de WhatsApp através do link: https://chat.whatsapp.com/Bzw88xzR5FYAnE8QTacBc0
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »