13/11/2015 às 08h55min - Atualizada em 13/11/2015 às 08h55min

Escola do bairro Xavantes completa 35 anos

O primeiro nome da escola foi Branca de Neve. Nomenclatura Escola Municipal Xavantes surgiu no ano 2000

Anchieta
Divulgação/Escola Xavantes

A Escola Municipal de Ensino Fundamental Xavantes, de Anchieta, completa 35 anos de história em 2015. Segundo um histórico feito pela direção da instituição tudo começou por volta de 1980, com o extrativismo madeireiro que rendia bons lucros em todo o país, e em Anchieta também.

No local onde hoje é a escola existia uma madeireira de propriedade da família Andreoli, de Francisco Beltrão-PR, que era administrada pelo senhor Pedro Godinho, que alternava sua residência entre Anchieta e Marmeleiro-PR. Nas proximidades existia uma outra madeireira de propriedade do senhor Neri Pagliosa, conhecida na época por Madeireira Xavantes, a qual deu origem ao nome bairro Xavantes e posteriormente a escola. Com a vinda de muitas famílias para trabalhar nas madeireiras surgiu a necessidade de uma escola mais próxima e que atendesse as necessidades das famílias.

                Pedro Godinho entrou em contato com o prefeito da época, Jurici Rampanelli e expôs a real necessidade. Nessa década o município não dispunha de professores com formação inerente ao cargo, então a secretária de Educação, Terezinha Lazarotto Parisotto conversou com sua empregada doméstica, Lorena Lemes da Rosa que tinha formação até a 4ª série e esta passou a ministrar aulas na então Escola Isolada Municipal Nº 23 do bairro Xavantes.

Lorena tinha muitos alunos e ainda precisava cuidar da merenda, limpeza da sala de aula, horta e arredores. Ela era jovem e enfrentou muitas dificuldades, uma por não ter muito conhecimento e pela quantidade de alunos.

 

Jardim de Infância Branca de Neve

                Após a instituição passou a se chamar Escola de Educação Infantil Branca de Neve, em março de 1983, tendo como professora Adelaine Bervian. A casa/escola ficava dentro de um potreiro, por isso toda vez ao chegar na escola a professora Adelaine precisava limpar os arredores. Conforme relatos os primeiros anos de trabalho da escola não foram fáceis, pois a turma chegava a ter até 40 alunos de várias idades, não havia auxiliar e nem merendeira. No primeiro ano a professora recebia seu salário através do projeto Mobral, a cada três meses.

Mas como sempre existem pessoas boas no caminho, logo uma mãe, Ivanilde que morava perto da escola começou a ajudar. A mãe ia todos os dias preparar a merenda em sua casa e a trazia na hora do recreio, além de auxiliar na hora de servir. Ivanilde acabou se tornando merendeira da escola.

                Devido ao aumento no número de alunos a escola precisou ser ampliada para duas salas, com isso aumentou o número de professores. As ampliações não pararam por aí, aconteceram melhorias em: 1995, 1998, 2004 e em 2010.

 

Escola Municipal de Ensino Fundamental Xavantes

No ano de 2000 a escola passou a atender alunos de 5ª a 8ª série e sua nomenclatura precisou ser reformulada para Escola Municipal de Ensino Fundamental Xavantes.

Ainda segundo o histórico da instituição constatou-se que na época muitas famílias que moravam no bairro eram desprovidas de bens materiais. “As dificuldades maiores vividas por professores e funcionários era que a maioria das famílias não conseguiam entender a real função da escola na formação de indivíduos críticos e atuantes e não viam no estudo (conhecimento) uma possibilidade de mudança de vida”, comentaram.

 

Aniversário

O aniversário da Escola Xavantes será comemorado neste sábado, dia 14. De acordo com a diretora, Cleusa Didomênico, será realizado um resgate da história do educandário e os primeiros professores e funcionários serão homenageados durante o evento. A escola atende atualmente 115 alunos, desde a educação infantil até as séries finais. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »