30/11/2020 às 15h21min - Atualizada em 30/11/2020 às 15h21min

Javalis prejudicam propriedades cataninenses

Esse animal foi responsável por diversas perdas econômicas e pode acarretar em incontáveis riscos sanitários

Da redação
Produtores agrícolas e pecuaristas têm relatado prejuízos com a circulação de javalis no território catarinense. De acordo com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) e especialistas, esse animal foi responsável por diversas perdas econômicas, como a depredação de lavouras, e pode acarretar em incontáveis riscos sanitários, por ser um transmissor de doenças. Neste ano, os principais problemas registrados estão nas regiões da Serra e do Oeste.
“Além dos javalis serem predadores de diversas espécies de animais nativos do nosso Estado, eles destroem a flora e prejudicam o meio ambiente em seus cursos naturais d’água. São potenciais transmissores de diversas doenças, tanto aos seres humanos quanto aos animais, trazendo riscos sanitários aos nossos rebanhos pecuários”, afirma o médico veterinário da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), Diego Severo.
 
Praga
O javali europeu é considerado pela União Internacional de Conservação da Natureza umas das 100 piores pragas. Entre as doenças que podem ser transmitidas aos seres humanos, estão: cisiticercose, hepatite E, salmoneloses e toxoplasmose.
 
Ações de controle
No Brasil, as ações de controle são normatizadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), sendo ele o órgão que autoriza, por meio de habilitação prévia, a perseguição, o abate, a captura e a marcação de espécimes seguidas de soltura para rastreamento. “Na prática, o controle populacional é realizado através da caça (busca ativa com ou sem arma de fogo) ou captura em armadilhas e consequente abate”, explica o médico.
Em Chapecó, o 2º Batalhão de Polícia Militar Ambiental, em parceria com diversas entidades, desenvolve o “Projeto Piloto Javali”. A iniciativa faz o levantamento da presença de javalis nas propriedades rurais, além do registro dos danos causados pelos animais durante o plantio de cada safra. Com esse trabalho, já se sabe que a maior incidência dos animais acontece na Região Sul, na divisa com o Rio Grande do Sul, no Rio Uruguai.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »