05/01/2021 às 10h10min - Atualizada em 05/01/2021 às 10h10min

“Ajudo pessoas através da farmácia de Deus”

A afirmação é da anchietense Sônia Dallavechia, conhecida também por ter uma “mão santa” na confecção de remédios

Da redação
A anchietense Sônia Dallavechia, de 62 anos, guarda consigo uma história emocionante, de dores, alegrias, conquistas e aprendizado. Há poucos dias, nos recebeu em sua propriedade para nos contar um pouco da sua vivência, principalmente na confecção de remédios caseiros extraídos de ervas medicinais. Mãe de três filhos e esposa de Agostinho, reside na Linha Camargo, interior de Anchieta.
Começou a trabalhar nesta área há 30 anos, onde esteve integrada na Pastoral da Saúde do município. “Tudo começou com a influência da minha mãe. Quando eu era pequena, lembro que ela sempre nos tratava com chás e ervas. Sempre queria seguir esse mesmo aprendizado, até que um dia minha filha adoeceu. Pedi a aprovação de Deus e disse que se ela se recuperasse, eu usaria daquela prática a favor dos outros; iria ajudar pobres e doentes. E foi ai que começou a minha caminhada”, comenta.
Segundo o esposo, ele foi o primeiro cobaia a provar dos remédios. “Como eu trabalhava muito com veneno, vivia passando mal. Não conseguia comer e nem beber direito. Até que bebi o remédio extraído da planta Guaçatonga, que combate venenos. Depois daí, nunca fiquei sem tomar; a cada seis meses tomo por aproximadamente dez dias. Agora posso aproveitar! Bebo e como de tudo, sem ficar preocupado com restrições por conta da saúde. Sempre que consulto minha saúde está boa e não tenho nenhum problema”, relembra, com boas risadas.
 
Aprendizado
Segundo a anchietense, foi por meio de cursos e capacitações que se especializou no ramo. “A Cooper Alfa me ajudou muito. Foi por meio dela que eu aprendi basicamente tudo que eu sei. Já fiz palestras, já implantei o programa de ervas medicinais em outros municípios, já ajudei universitários que aqui vieram me procurar... tudo o que estiver dentro do meu conhecimento estou sempre repassando aos outros”, ressalta acrescentando que confecciona tinturas, xaropes, pomadas, cremes, shampoos, remédios e uma variedade de chás.
 
Contraindicações
Com mais de 60 ervas plantadas, duas exclusividades fazem parte do cultivo: o Hipericão – antidepressivo, que auxilia na ansiedade – e o Jambu-Açu, que é anestésico. “As ervas são plantadas e cultivadas por nós. No começo, a maioria foi presente da Cooper e a Epagri de Chapecó. Temos uma grande variedade e todas com os seus benefícios específicos e seu princípio ativo”, acrescenta.
“Para cada planta, precisa ter um cuidado diferente, desde sua plantação até a colheita. O processo de cada produto é bem delicado, começa pela desidratação da planta, raiz, caule ou flor, existe todo um desempenho melindroso para cada um, como a temperatura, por exemplo. A estiagem também dificultou no crescimento e desenvolvimento das plantas”, esclarece enfatizando que os produtos não possuem contraindicação, mas para cada pessoa é receitado uma dosagem específica, porém, a única restrição é para pessoas diabéticas.
“Não produzo nada para pessoas diabéticas, pois não tem como ter um controle. Antes de produzir, sempre peço se a pessoa é ou não. Além disso, o valor comercializado é relevante, pois só cobro o custo da embalagem. Basicamente, os produtos não passam de R$ 10”, completa.
 
Benefícios
“Os benefícios são muitos e passa de geração a geração. Estou sempre me especializando, estudando e consequentemente trazendo algo novo, faço com amor e muita dedicação. Agradeço muito a Deus pelo dom da sabedoria e por conseguir ajudar pessoas através da farmácia Dele, uma farmácia viva. Agradeço a Alfa que abriu as portas desse conhecimento pra mim”, finaliza.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »