09/06/2021 às 10h41min - Atualizada em 09/06/2021 às 10h41min

Associação Palma e Pata inicia projeto de reciclagem

A Associação Palma e Pata Iniciou um projeto de recolhimento do lixo reciclável. A venda do lixo será revertida no cuidado médico dos animais

Da redação
Divulgação: Aqueles interessados em doar lixo reciclável podem entrar em contato com a Palma e Pata pelo Instagram: @palmaepata.
A Palma e Pata surgiu de uma idealização da escrivã da delegacia civil de Palma Sola, Deise Bordin. Ela criou o nome e a logo do projeto, que visa conscientizar a população sobre o bem estar animal, castração, adoção, leis contra maus tratos e abandono de animais domésticos. Atualmente a Palma e Pata conta 13 membros e está finalizando os tramites legais para se tornar uma associação.
O Secretário de Agricultura e futuro presidente da associação, Juliano Zandoná, explica que a partir do momento em que a Palma e Pata for de fato um associação, será possível ter verbas públicas que ajudarão nos cuidados médicos dos animais. “Os mutirões de castração realizados pela prefeitura e as leis de proteção animal do município, não dão conta. Através de verbas públicas nós da Palma e Pata conseguiremos lares temporários para os animais, garantindo seu bem estar” fala Juliano.
Ainda na informalidade a associação Palma e Pata iniciou sua atuação no município. Eles propuseram um projeto de separação do lixo reciclável. Cada palmassolense pode contribuir separando o seu lixo e lavando-o até a delegacia de polícia municipal. Plástico, papel, alumínio, metais, e fios elétricos serão recolhidos e vendidos. “O dinheiro arrecadado será utilizado na compra de medicamento, castração e cuidados com os animais. “Queremos ter um certo cuidado, pois existem famílias que dependem da coleta do lixo reciclável”” explica Juliano.
Vale ressaltar que a associação não irá recolher animais de rua. Não existe um espaço físico para isso, e mesmo que existisse, iria demandar de funcionários para acompanhar os animais diariamente. “O máximo que podemos fazer é tratar o animal e leva-lo para um lar temporário até arrumar alguém que queira ficar com ele. As pessoas tem que ter em mente que, tirou o animal da rua, ele ficou estabelecido na sua casa, sob seus cuidados por mais de um ano, o animal não e mais de rua, ele é reponsabilidade sua, você é o tutor dele, então não cabe à Palma e Pata tratar o animal. Caso alguém, no momento em que recolheu o animal precise de ajuda para atende-lo, aí a associação fará sua parte” diz Juliano.
Muitas pessoas adotaram animais castrados no mutirão de castração que recentemente foi realizado em Palma Sola. “Tivemos um caso onde uma família adotou um filhote, três dias depois eles já queriam devolver o animal pois ele fazia xixi por todos os lugares. É importante o pessoal entender que todo animal vai precisar de um tempo de adaptação, ele precisa ser ensinado. Portanto se alguém está esperando que vai receber um animal obediente e treinado, essa pessoa está enganada” explica o Secretário Juliano.
                                                                                                                                       
Educação ambiental
A missão da Palma e Pata é a educação ambiental e o bem estar animal. A Associação pretende realizar um trabalho nas escolas sobre a separação do lixo. Por conta da Covid -19 esse trabalho será adiado. O serviço da associação vai de encontro com a legislação nacional e municipal, que prevê punições para quem causar maus tratos ou abandonar animais.
“Eu acredito que logo daremos entrada no cartório para registrar a associação, a partir daí seremos mais ativos em nossas ações. Pretendemos realizar feiras de adoção, dos animais aptos. Também tivemos a ideia de organizar uma espécie de pedágio para divulgar projeto de reciclagem” finaliza Juliano.
 

Receba as notícias do Portal Sentinela do Oeste no seu telefone celular! Faça parte do nosso grupo de WhatsApp através do link: https://chat.whatsapp.com/Bzw88xzR5FYAnE8QTacBc0
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »