05/11/2016 às 09h24min - Atualizada em 05/11/2016 às 09h24min

“Meu filho está vivo graças a uma intervenção divina”

Com apenas 27 dias de vida, o pequeno João Victor, sofreu um acidente de carro. Ele foi achado do lado de fora do veículo pelo seu pai, Jonatas Giordani. Agora, após um ano, o renascimento do lindo menino é considerado um milagre. Uma intervenção divina

Era por volta das 8h da manhã de um lindo dia ensolarado. A mãe Iliane Paduan ia acompanhada do seu pequeno filho, com 27 dias de vida, João Victor, com o marido Jonatas Giordani e sua sogra Helena de Maia Paduan, para Francisco Beltrão. O objetivo era dar entrada nos papeis da licença maternidade, era para ser apenas mais um dia normal na vida do jovem casal. No entanto o dia 29 de setembro de 2015 ficou marcado como o pior pesadelo da família Giordani. João Victor é neto do caminhoneiro e vereador Claudio Giordani.

Neste fatídico dia o pneu traseiro do Kadett que Jonatas dirigia furou e o fez perder o controle do veículo, que capotou por duas vezes. O acidente aconteceu em frente ao Posto Rio Verde, na divisa de Flor da Serra do Sul com Marmeleiro. Minutos antes do capotamento a mãe do bebê o havia retirado da cadeirinha para poder amamenta-lo. Por estar solto no veículo o bebê atingiu o para-brisa do carro, batendo sua cabeça e foi arremessado para fora, assim como sua mãe. Iliane quebrou a bacia. A avó, Helena, ficou presa na cadeirinha do bebê e precisou da ajuda dos bombeiros e do desencarcerador para ser retirada do Kadett. Ela quebrou a clavícula e algumas costelas. O pai, Jonatas não se feriu, mas percebeu quando o bebê foi arremessado para fora do carro, e por isso logo o procurou. João Victor foi achado ao lado do carro, ele estava enrolado em uma cobertinha. “Foi por puro instinto que corri pegar ele, nem pensei sobre isso. Ele apenas gemia de dor, não era possível ver nada de sangue, ele estava com uma touca, por isso não vi a cabeça dele. Lembro que o peguei no colo e logo apareceram pessoas para ajudar, porque o acidente aconteceu bem em frente ao posto de combustível”, recorda Jonatas.

De carona com o proprietário do Posto, Jonatas com o filho nos braços o levou para o Hospital Palma Sola. “Acredito que o milagre começou a acontecer aí”, conta o pai explicando que por coincidência a médica Kenny Mattos Rosa, nora da prefeita Lucinda da Rosa, estava em Flor da Serra do Sul. A médica foi até o Hospital Palma Sola e interveio no atendimento. “Graças ao rápido atendimento do Hospital e da doutora é que ele sobreviveu. Na verdade tudo se soma, desde os primeiros atendimentos até todo o tempo de internação. Fomos atendidos inteiramente pelo SUS e não posso reclamar de nada”, agradece Jonatas.

Ainda com risco de perder a vida o pequeno precisou da ambulância do SAMU equipada com UTI para ser transferido para o Hospital Regional de Francisco Beltrão. “Os médicos não acreditavam que ele ia sobreviver à viagem, pois estava muito mal. Ele não quebrou nenhum outro osso do corpo, mas machucou muito a cabeça. Ele chegou a ficar sem os sinais vitais, com a pupila dilatada”, relata Jonatas.

 

MILAGRE

Até o quinto dia de internação do bebê, Jonatas era avisado pelos médicos de que João Victor dificilmente sobreviveria. As chances era poucas, e caso sobrevivesse ficaria paralisado no lado esquerdo do corpo e perderia a visão. “Eles diziam que seria um milagre se ele sobrevivesse”, lembra emocionado. Nos três primeiros dias de internação a mãe do bebê, Iliane ficou internada em Palma Sola. “Eu falava por telefone com ela e dizia que estava tudo bem, eu não queria preocupa-la. Assim que ela teve alta veio ficar aqui comigo para estar perto do João. Não saímos de perto dele” lembra o pai.

No quarto dia internado a família decidiu batizar o pequeno. Foi neste instante que todos viram ele mexer levemente a mão esquerda. “Isso aconteceu quando o padre o tocou. Foi intervenção divina. Todos sempre fomos católicos e quando o acidente aconteceu apenas reforçamos nossa fé”, lembram os pais. Jonatas chamou os médicos para verificarem o movimento, mas eles afirmavam que era involuntário. “Então dois dias depois ele mexeu pela segunda vez, e o médico disse que ele até poderia ter movimento, mas não ia ter força”, relata. Após alguns dias o médico acabou acreditando no milagre, pois o pequeno mostrou que tinha movimento e força ao apertar seu dedo, além de conseguir enxergar. “Ele falou para mim: ‘Se você quiser fazer um quadro escrevendo que foi milagre, eu assino embaixo, porque eu nunca vi nada assim”, afirma.

Ao todo, João Victor ficou 29 dias internado na UTI, foi alimentado por sonda e depois de 16 dias pode voltar a mamar no peito da sua mãe, Iliane. A jovem conseguiu amamentar o bebê normalmente. “Nosso filho foi planejado, era para ser tudo perfeito. Mas vendo ele hoje em dia, dando os primeiros passos, brincando e sorrindo. Ainda acreditamos que nada deixou de ser perfeito”, declaram os pais.

Devotos de Nossa Senhora Aparecida à família Giordani ainda paga uma das promessas. Todo mês, no dia 12 eles oferecem as crianças carentes um lanche em frente ao Mercado Giordani, no bairro Industrial.

 

RECUPERAÇÃO

O bebê ainda passou por algumas complicações após o dreno que foi implantado em sua cabeça. O dreno serve para tirar o líquido da cabeça, até o osso craniano fechar completamente. João ainda tem um pequeno calombo na parte de trás da cabeça. “Mas os médicos acreditam que com o tempo isso irá sumir. Pois o dreno leva o líquido direto para sua barriga”, explica Jonatas. O dreno teve que ser implantado por três vezes, pois na primeira vez além de infeccionar, João Victor, acabou pegando uma superbactéria. “Até ele poder vir para casa em definitivo foram mais cinco meses de internações”, lembram os pais afirmando que o ano de 2015 foi sofrido para todos.

Desde então o bebê que tem atualmente pouco mais de 1 ano e um mês está em casa recebendo o amor e cuidado de toda família. “Nossa próxima consulta é no finalzinho do ano”, fala a mãe, Iliane. Mesmo se movimentando e tendo força no lado esquerdo do corpo, João Victor, tem o desenvolvimento mais lento. Por isso, conforme for crescendo ainda fará outros tratamentos e fisioterapia. “Ele se desenvolve normalmente, mas sempre o acompanharemos para que tudo fique bem”, afirma a mãe Iliane.

 

AGRADECIMENTO

A família do pequeno João Victor Giordani reitera o agradecimento a todos que oraram por sua recuperação. “Soubemos que todas as igrejas, independente da religião, fizeram orações, grupos de pessoas fizeram novenas. E por isso seremos eternamente gratos a todos, e também a equipe médica e todos os funcionários da área da saúde que auxiliaram”, agradecem os pais e o avô, Claudio Giordani. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »