Sentinela do Oeste Publicidade 1200x90
30/09/2019 às 10h38min - Atualizada em 30/09/2019 às 10h38min

Reciclagem em Palma Sola

Em Palma Sola, quem realiza a coleta de lixo reciclável é Cornélio Gomes. Ele atua no município há 4 anos, como coletor. Conforme ele, a principal dificuldade enfrentada no começo foi conscientizar a população sobre a importância de separar o lixo.
“Hoje os palmassolenses estão mais conscientizados, antigamente os coletores só recolhiam na cidade, nos mercados e em lojas. Mas agora conseguimos coletar também no interior. As pessoas quando limpam as casas já nos avisam para passarmos e recolher o lixo”, comenta.
 No interior são feitos de três a quatro coletas ao ano, dependendo da necessidade. “Atualmente o interior do município está bem organizado, as pessoas estão respeitando o cronograma da coleta do lixo reciclável montado pelo Departamento do Meio Ambiente, e deixam tudo separado. Essa organização é feita com a parceria da Prefeitura através de algumas Secretarias, como a de Saúde. As agentes de saúde, por exemplo, contribuem levando nas casas o roteiro da coleta um mês antes, para que os moradores do interior possam se organizar e levar o lixo até a sede da comunidade”, detalha Cornélio.
Cornélio conta que no começo como era responsabilidade da prefeitura, faziam uma ou duas coletas por ano, reuniam um mutirão para realizar a coleta. Conforme ele, naquela época tinha bastante lixo reciclado, chegavam a puxar até 90 toneladas de lixo. “Agora como é feito periodicamente, e também é feito no interior, o volume recolhido é muito maior. Por exemplo, só no mês de agosto foram recolhidas cerca de 60 toneladas”, explica.
Conforme Cornélio, com o passar dos anos conseguiu aumentar a frota para a recolha do lixo. Além disso, hoje são quatro funcionários que trabalham diretamente, e nos dias de mutirão são seis pessoas ajudando na recolha do lixo reciclável. “Quando comecei tinha uma Pampa, mas então fomos nos organizando e hoje além de ter três caminhonetes ainda consegui comprar uma máquina de prensar papel”, afirma. 
O coletor afirma que embora tenha havido uma melhora na conscientização das pessoas, ainda há gente que joga lixo nos matos que rodeiam a cidade, mesmo havendo um ponto de coleta de lixo reciclado que fica na garagem da prefeitura. “As pessoas precisam se conscientizar mais, tudo que a pessoa guarda para reciclar, ela pode trazer aqui, no sábado, no domingo, a hora que for, e deixar que nós damos o destino certo”, ressalta Cornélio.
O papel que é recolhido, é destinado a uma empresa de Francisco Beltrão, uma vez por semana eles passam para recolher. O ferro é descarregado em uma caixa, e é destinado a um terreno que a prefeitura os deixou utilizar. “Tomamos o cuidado de levar com frequência e dar a destinação correta para esta ferragem, até para não acumular água e contribuir no combate ao mosquito da dengue”, afirma.
Cornélio finaliza agradecendo os palmassolenses que estão contribuindo cada vez mais com a recolha do lixo reciclável. “Eu quero agradecer a população de Palma Sola pelo incentivo, do que estão fazendo, organizando e colaborando com a gente. Para 2020 minha ideia é organizar com empresas particulares, para colocar umas bolsas de recolha de lixo reciclável nas casas. Cada morador vai ter sua bolsa, uma do lixo úmido que a empresa Tucano levaria e outra para o lixo reciclado. Mas por hora, agradeço ao apoio que já estamos recebendo”, finaliza.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Sentinela do Oeste Publicidade 1200x90