20/01/2021 às 08h22min - Atualizada em 20/01/2021 às 08h22min

Advogada assume Sindicato Rural de Campo Erê

A advogada Juliane Beltrame é a 1ª mulher a assumir a presidência do Sindicato, provando a competência feminina no campo

Da redação com informações do site Campo Erê.com
Advogada, casada, agricultora, mãe de dois filhos e uma história de superação e liderança. Essa é Juliane Silvestri Beltrame, de 39 anos, que tem se dedicado a valorização e maior participação da mulher na vida da comunidade campoerense, especialmente no Sindicato dos Produtores Rurais, do qual é associada desde 2015. Ela foi a primeira mulher a se tornar presidente da Associação. Cargo que exerce há menos de um mês.
No ato de posse, Juliane recebeu a entidade das mãos do então presidente Rodrigo Viganó, que fez uma rápida explanação dos trabalhos realizados pela diretoria nos últimos anos, ao qual esteve à frente da entidade. Rodrigo agradeceu toda a composição da diretoria e também aos associados, que confiaram no seu trabalho e participaram das movimentações realizadas no decorrer do período.
 
Mulheres e o campo
Para a advogada, a vida no campo pode ser um desafio para a mulher, que muitas vezes não detêm de formações específicas, ou usa a propriedade apenas para lazer. “Quando meu pai faleceu, em 2010, precisávamos ver o que iríamos fazer, foi ai que resolvi assumir os trabalhos da propriedade. Fiz muitos cursos, me associei no Sindicato, participei de congressos. Lembro de um que participei em São Paulo, onde representei toda a região. Lá vi muitas histórias emocionantes e inspiradoras, de mulheres assumindo a propriedade, cuidando de tudo, se associando, trabalhando pesado, tomando decisões... Foi tudo que eu precisava”, relembra.
Segundo dados respaldados por Juliane, no Brasil, 60% das mulheres camponesas possuem formação superior; 34% estão no agronegócio porque membros da família atuam; 54% retratam problemas de liderança; 34% gostam dessa vida no campo e 80% da participação feminina é na agricultura familiar. No município campoerense, diversas mulheres assumem a propriedade. Pensando nisso, a gestora pretende trabalhar em cima do empoderamento feminino, através de treinamentos, cursos e palestras, que despertarão confiança nas demais.
 
Planejamentos
Conforme Juliane, 2021 será um ano de desafios para o agronegócio, onde os produtores são o alicerce da economia e, mesmo em tempos de pandemia, mantiveram suas atividades ativas, superando toda e qualquer dificuldade apresentada nesse período. Ela acredita que com a colaboração de sua diretoria e sócios, poderá buscar resolver os problemas enfrentados pelos produtores nos mais diversos setores produtivos.
Uma de suas reivindicações, é de que o Sindicato possa ser regionalizado –abrangendo vários municípios da região –, tema que deseja levar a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC). Ela também pretende criar o departamento jovem da entidade, fazendo com que os filhos dos associados tenham participação efetiva no Sindicado com ideias e compromissos.
“Eu ter me elegido, sendo a 1º mulher na história do Sindicato, é como uma porta aberta, que vem a mostrar para outras mulheres que temos potencial e que podemos colaborar e participar mais efetivamente, assumindo lideranças. A mulher ainda é muito insegura, sofre preconceito. Temos muitas representantes que assumem a propriedade. A mulher tem a capacidade de correr junto, de fazer tudo. Tem o acesso a tecnologia e a vontade de fazer diferente. Só precisamos confiar em nós mesmas!”, finaliza.
 
Confira como ficou a diretoria:
Presidente: Juliane S. Beltrame
Vice: Marcelo Baptistella
Tesoureiro: Rodrigo Viganó
Vice: Valmor Giacomin
Secretário: Camila Rigon
Vice: Nivion E. Bernart
Conselho fiscal: Orestes E. Roman Gilberto e Heinbert Sand
Suplentes: Jorge Armando Dal Piva, Gilberto Baptistella e Vilmar Tonatto

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »