26/01/2021 às 14h29min - Atualizada em 26/01/2021 às 14h29min

Prefeita é questionada sobre prejuízos na agricultura

Uma comissão do Sindicato dos Produtores Rurais de Campo Erê, esteve reunida com a Administração Municipal

Colaboração: Campo Erê.com
Nos últimos dias, uma comissão formada por integrantes do Sindicato dos Produtores Rurais de Campo Erê, esteve reunida com a Administração Municipal. O ato contou com a presença da prefeita Rozane Moreira e seu vice, Roque Mello. Em pauta, foi discutido sobre a atual situação da produção de milho no município, onde uma variedade deverá causar prejuízo de mais de 80% na produção.
Neste caso, a Administração suspendeu as férias do engenheiro agrônomo, para que seja providenciado um parecer técnico, afim de auxiliar os produtores em processo frente a produtora de sementes. Com a proximidade da colheita, é preocupante a situação das estradas para o transporte da safra e, sabendo dos problemas com o maquinário, o grupo questionou a prefeita sobre a solução para o caso.
Rosane disse à comissão que é possível realizar uma rápida recuperação das vias para o escoamento da safra, mas a situação das estrada do município só poderão ter início de fato, em meados de abril, quando as máquinas, que estão todas sem condições de uso, estarão aptas para o trabalho. Um dos assuntos mais deliberados foi a cobrança das taxas dos Impostos de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR), que na visão dos produtores, está elevada em relação a média regional.
Os impostos estão com taxas fixas e tem um patamar mínimo e máximo para que o ITBI seja taxado e no momento não há como ter alterações, caso isso seja feito, haverá sanções para a chefe do poder executivo, como a renúncia de receita. Ainda foi tratado a questão da estiagem, os motivos que levaram Campo Erê a não estar inserido no decreto de situação de emergência do Estado, já que há um decreto municipal e a documentação não foi encaminhada para a Defesa Civil Estadual. O coordenador foi acionado e toda a documentação será encaminhada com fundamentação para “tentar” inserir o município neste decreto.
Outra solicitação feita pelos produtores foi sobre a possibilidade do retorno do escritório local da CIDASC, o qual foi retirado do município sendo transferido para São Lourenço do Oeste já há algum tempo. Nesse caso, serão feitas tratativas afim de que haja o atendimento presencial do órgão no município.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »