08/03/2021 às 14h47min - Atualizada em 08/03/2021 às 14h47min

Especial Dia da Mulher: Família como prioridade

As oito fases da mulher atual

Da redação
Como bem sabemos, a sociedade evoluiu desde a época em que os afazeres domésticos eram pura e simplesmente tarefas destinadas a mulher. E mudou ainda mais, desde que puderam ter liberdade para disputar espaço no mercado de trabalho, transpondo as barreiras do papel de ser apenas esposa, mãe e dona do lar. E é graças às investidas femininas sobre o poderio masculino do início da década de 1970, que hoje são duas mulheres que redigem esta reportagem.
É fato, de lá para cá muita coisa mudou, mas há ainda um grande caminho a ser percorrido em meio à constante busca por igualdade de gênero, direitos e principalmente por respeito. E é assim, com a finalidade de deixar clara a importância e legitimidade do poder de escolha de cada mulher, por sobre seu contexto e seus objetivos de vida, que o jornal Sentinela escolheu contar oito diferentes histórias, de mulheres palmassolenses, que simbolizam o empoderamento feminino.

- Família como prioridade
Ivone Salete Menin, de 51 anos, mãe de duas meninas, largou sua vida de comerciante para cuidar dos netos. Cita que não conseguiu aproveitar o neto mais velho, Luís Otávio, quando bebê. Desfrutando, agora, da oportunidade de parar de trabalhar e cuidar dos outros netinhos pequenos. Para ela, entre as dificuldades enfrentadas pela mulher nesta época de pandemia, está a falta de cuidado. “Temos que nos cuidar e nos adaptar no dia a dia. O Dia da Mulher é definido em 8 de março, mas na verdade, é todo dia. A mulher dentro de uma casa é tudo, ela cozinha, trabalha, cuida das crianças”, comenta ressaltando que deixar da sua vida profissional para cuidar da família foi uma das melhores coisas que fez. “Não me arrependo disso, pois adoro cuidar deles. Não tenho medo das coisas, acredito que todo ser humano deve ter amor no coração e muita fé, pois não há dificuldade que não enfrentamos”, frisa. Após o falecimento de sua mãe, passou a cursar pedagogia, algo que a ajuda diariamente, principalmente quando precisa ajudar os netos na escola. “Minha prioridade não é trabalhar na área, mas ajudar eles nas tarefas, ajudando na educação”, conclui finalizando com uma ótima mensagem as mamães e avós: “as vovós que tiverem tempo, que puderem ficar com os netos pequenos, aproveitem ao máximo, porque é uma fase que passa muito rápido. Para as mamães, que podem ficar com seus filhos, com a família, deem mais atenção. Isso vale muito mais do que qualquer bem material que a gente corre atrás, que a gente queira batalhar para conquistar. Hoje com essa pandemia, vimos o quanto devemos dar valor, amor e cuidar de quem está perto de nós. Nós vamos e os bens matérias ficam, como diz aquele ditado: nunca vi enterro com uma casa ou móveis atrás!”, finaliza.



*Matéria editada* 
Seguindo um erro de concordância, a introdução desta matéria foi editada, permanecendo apenas a história da entrevistada. 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »