Sentinela do Oeste Publicidade 1200x90
01/01/2024 às 09h00min - Atualizada em 01/01/2024 às 09h00min

Planejando as metas para 2024

Conforme a psicóloga Alessandra Ludwig ao definir suas metas para 2024 é preciso ser específico, realista e determinado

Da redação
Divulgação
Conforme o ano se encaminha para o fim, é natural realizar uma avaliação daquilo que fizemos ou deixamos de fazer, bem como, refletir sobre as expectativas para o ano que se inicia. Traçar metas e objetivos para o futuro é importante, mas isso deve ser feito com cuidado. Traçar metas baseando-se em objetivos genéricos e sem um plano de ação é a receita para ter uma frustração no final do próximo ano. 
 
Metas
A psicóloga Alessandra Ludwig, enfatiza que as metas são importantes porque guiam nosso caminho, é através delas que compreendemos se estamos nos aproximando da vida que escolhemos ter. “As metas são como ferramentas que usamos para organizar a vida e elas podem incluir objetivos pessoais, profissionais, estudos, sonhos e mesmo metas para melhorar sua saúde ou seu financeiro”, acrescenta.
Sobre fazer uma lista de desejos pessoais para o próximo ano, ela afirma que muitas situações podem acontecer no decorrer de 12 meses, então as metas podem ser usadas como guia para consultar, de tempos em tempos, e ajustar nossas atitudes de acordo com o que havíamos planejado no início do ano.
 
A cultura de definir metas
Alessandra informa que o costume de definir metas é antigo e é praticado em diversas culturas, mas a tradição se fortaleceu nos últimos dois séculos, embora os costumes possam variar o intuito geral é o mesmo: iniciar o ano com um propósito ou um objetivo.
No momento de definir quais serão as metas para o próximo ano, é comum colocarmos em nossas listas: perder 10 quilos, ganhar mais dinheiro, trocar de carro, casar, estudar mais, fazer uma viagem e por aí vai. O problema é que muitas vezes esses objetivos não condizem com a realidade, com aquilo que somos capazes de executar.
“Isso pode acontecer porque final do ano estamos repletos de sentimentos positivos e cheios de esperanças para um futuro melhor e, na empolgação, esquecemos do que é possível realizar, ou seja, aquilo que se aproxima da sua realidade e acabamos por traçar metas muito grandiosas e incompatíveis com a nossa rotina. Sendo assim, é mais provável desistir no meio do caminho ou mesmo antes de começar”, relata a psicóloga.
Quando nossas expectativas são muito altas existe frustração. Quanto maior for sua meta, maior a chance de não conseguir realizar e gerar um sentimento de frustração. “Essas são aquelas metas que todos os anos nós prometemos e no fim, nunca cumprimos. Por isso é importante reservar um tempo para refletir na próxima vez que for estabelecer suas metas e se necessário, ajustá-las conforme sua rotina e tempo disponível. Começar pequeno é melhor do que nunca começar”, enfatiza Alessandra.
Ela ainda explica que é possível aprender com as metas não concretizadas: “Alguns desses objetivos podem não ter sido alcançados por falta de dedicação e compromisso, esses são objetivos que merecem sua atenção, se eles são importantes para você, renove-os e no próximo ano crie um plano de ação, ou seja, organizar dias e horários para de fato fazer acontecer essas metas. Se sua meta for iniciar uma atividade física, por exemplo, no próximo ano estipule quais dias da semana e quais horários você vai fazer”.
De acordo com a psicóloga, é mais fácil engajar nas metas quando organizamos momentos para se dedicar a elas, e mesmo que não alcancemos todas essas metas em sua totalidade durante o ano, estaremos mais próximos de realizá-las. “Estaremos trilhando o caminho que escolhemos”, destaca. 
 
Criando metas que se concretizam
Aos seus pacientes, Alessandra sempre orienta que as metas sejam anotadas, elas ainda podem ser divididas por categorias: profissional ou de estudos, sonhos, financeiras e de saúde. Após dividir em categorias suas metas, considere fazer algumas reflexões: “Por que essas metas são importantes para mim?”, “O que eu valorizo?”, “O que espero sentir alcançando essas metas?”.
“Nesse momento seja específico. Metas como ‘ser mais saudável’ ou ‘neste ano vou me alimentar melhor’ são muito amplas e difíceis de mensurar, mas ao invés disso, tente especificar ‘vou caminhar 30 minutos todas as terças e quintas-feiras’ ou ‘irei comer uma fruta todos os dias’. Lembre-se de estabelecer metas possíveis para você, que se enquadrem em sua rotina e que sejam mensuráveis, isto é, que você possa acompanhar seu progresso. Além disso, vale lembrar que as metas devem ser personalizadas de acordo com os seus desejos e necessidades, não existem metas certas ou erradas, elas podem variar de acordo com seus sonhos e aspirações”, lembra a psicóloga.
Após estabelecer suas metas crie um plano de ação. Conforme Alessandra, no plano de ação constam as formas com que você vai atingir os seus objetivos, nele podem ser organizados, por exemplo, os dias da semana e os seus horários para se dedicar àquela meta. A psicóloga ainda orienta que algumas metas, que trazem mais impacto na vida, devem ser priorizadas.
“Outro fator importante é a motivação, é difícil se manter motivado durante os próximos 12 meses, por isso, nos momentos de desânimo se torna importante consultar novamente as metas que foram estabelecidas e se lembrar dos motivos que te fizeram começar.  E principalmente seja flexível. As metas podem mudar no decorrer do ano, algumas podem ser ajustadas e outras incluídas, é normal e mudanças fazem parte da vida”, finaliza Alessandra.
Ao definir suas metas para 2024 lembre-se de ser específico, realista e determinado. Acompanhe seu progresso e celebre suas conquistas. Priorize seus objetivos de vida e o que te faz bem.
 
Receba as notícias do Portal Sentinela do Oeste no seu telefone celular! Faça parte do nosso grupo de WhatsApp através do link: https://chat.whatsapp.com/Bzw88xzR5FYAnE8QTacBc0
Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/jornalsentinela/
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Sentinela do Oeste Publicidade 1200x90