30/11/2018 às 17h11min - Atualizada em 30/11/2018 às 17h11min

Fenômeno paranormal pode estar ocorrendo em casa apedrejada, diz parapsicólogo

O fenômeno de apedrejamento constatado em algumas residências de Linha Santa Clara Baixa, em Joaçaba, pode se tratar algo ligado à paranormalidade. A informação foi confirmada pelo jornalista e parapsicólogo Alison da Silva, de Lindóia do Sul.

O Caso
Moradores de quatro residências da localidade de Linha Santa Clara Baixa, interior de Joaçaba, estão intrigados e apavorados com uma situação sinistra.
As casas deles estão sendo atingidas por pedras de tamanhos médios, que precisariam ser arremessadas por alguém com boa força e de perto para atingir os telhados. As ocorrências começaram na sexta-feira, dia 23, e, segundo os moradores, foram até presenciadas por policiais militares, que não conseguiram identificar de onde vinham as pedras.
A moradora Dulce Mari de Melo Sobrinho revelou que a primeira ocorrência foi na sexta-feira, por volta das 19h30. Naquele momento a Polícia Militar foi chamada pela primeira vez. A guarnição procurou suspeitos no entorno das casas, mas não achou ninguém. No sábado, dia 24, as casas foram novamente apedrejadas à noite. Os policiais estiveram no local e desta vez foram surpreendidos pelas pedras.
O relatório da PM registra que realmente guarnições estiveram no local registrando a ocorrência e frisa que as pedras foram vistas, mas que ninguém foi identificado como autor dos danos.
Segundo Dulce, após nada ser avistado, os próprios policiais deram um conselho para que também buscassem ajuda espiritual. "Eles perguntaram se aqui era assombrado e mandaram procurar um pastor ou padre porque acham que podem ser espíritos".
Outra questão que intriga, segundo Dulce, é que as pedras vêm de várias direções, como se as casas estivessem cercadas.


Diante dos fatos e descartando qualquer possibilidade de fraude, o parapsicólogo Alison da Silva esclarece que um caso semelhante foi registrado no Rio Grande do Sul. Uma casa era apedrejada e ninguém conseguiu identificar os supostos autores.
Silva explica que em Joaçaba o caso pode se tratar de Poltergeist, ou seja, um fenômeno paranormal que envolve também a conhecida “chuva de pedras”. Ou seja, são eventos paranormais que a ciência não consegue explicar. Ele acredita que um dos membros da família, possivelmente uma criança, pode estar provocando isso no imóvel. Nesse caso, seria uma criança ou adolescente que está passando por um momento de sofrimento ou ameaça da sua sobrevivência.
“O caso precisa ser melhor analisado, mas tudo indica que isso possa estar ocorrendo nesse caso em Joaçaba. Isso descartando a possibilidade de uma fraude", reitera.
O parapsicólogo disse que, caso se confirme o fenômeno, a solução é realizar um tratamento após a identificação da criança ou adolescente visando a harmonização e equilíbrio dela e do local.

Fonte: Rádio Atual
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »