26/07/2019 às 10h22min - Atualizada em 26/07/2019 às 10h22min

Cão auxiliou nas buscas por desaparecido

Há mais de uma semana a Polícia Civil e Militar de Palma Sola está mobilizada nas buscas pelo palmassolense desaparecido, René José Poersch. Na semana passada, nos dias 17 e 19, o cão Thor, pastor holandês do canil da Polícia Militar de Xanxerê, fui utilizado nas buscas e encontrou o rastro do homem, que apontava na direção da linha Tatetos, interior de Flor da Serra do Sul, em direção à Salgado Filho.
O treinador do cão é Edemar Luiz da Silva, responsável pelo canil setorial de Xanxerê. Ele explica que Thor tem seis anos e está com a PM desde os 45 dias de vida. “O Thor é bastante requisitado em buscas, pois é o primeiro cão do Brasil a ser certificado em cinco modalidades diferentes de trabalho”, afirma.
Ele explica que o diferencial do canil de Xanxerê é esse, os cães são treinados para diferentes tipos de buscas. “Nossos cães são todos multifuncionais, por eu trabalhar sozinho no canil criei um programa de treino diferente que possibilitasse que o mesmo cão faça todos os empregos de Polícia. O Thor por exemplo, faz o faro de armas, drogas, busca e captura por foragidos com contenção, a busca e resgate, o patrulhamento, intervenção em presídio, policiamento em eventos e apresentações de show dog. Além disso, com ele também realizasmos a terapia assistida com cães em hospitais, escolas, Caps, Cras, Lar do Idoso e outras entidades”, detalha.
O cão treinado, adestrado para o trabalho de segurança, é um cão que tem suas características especiais mais aguçadas. “Todo cão é um bom farejador, é um animal para a busca, e durante o treinamento buscamos aguçar suas características naturais e canalizar elas para determinados tipos de odor, como entorpecentes, armas, explosivos, e pessoas”, explica.
O treinamento dos animais no canil leva um ano e dois meses, para que estejam prontos para atuar em ocorrências reais. O Thor já tem mais de oito resgates, além de atuação em pelo menos 20 casos de busca e captura de foragidos. Mas se for levar em conta apreensão de drogas e armas são incontáveis operações. “Esse trabalho de busca é minucioso e específico. No caso de Palma Sola o Thor foi acionado para as buscas após cinco dias do desaparecimento, e mesmo assim encontrou o rastro do homem, apontado para uma direção diferente do imaginado”, destaca.
Na sexta-feira, durantes as buscas, foram mais de 36 quilômetros percorridos, levando até o ponto onde dois populares confirmaram ter visto o homem desaparecido. “O cão ainda tinha forças mas eu estava fisicamente esgotado e não tinha condições de continuar. Paramos às 19h30 mas acredito que chegamos bem perto. Cada vez mais chegamos à conclusão de que o cão na PM é uma ferramenta muito importante”, enfatiza.
Ele explica ainda que o que pode prejudicar as buscas é a demora no tempo de acionamento. “Se tivéssemos sido acionados nas primeiras 24h ou no máximo em 48h com certeza já teríamos encontrado o senhor desaparecido”, afirma.
Em entrevista ao Sentinela a agente da polícia civil, Deise Bordin, afirma: “Por melhor que o cão seja, é necessário que exista empenho e determinação do instrutor” revelando que ela acredita que René José Poerch está vivo: “Até sexta-feira, 95% que o Poerch estava vivo e caminhando nas proximidades da Pedra Lisa, interior de Flor da Serra do Sul. Na segunda-feira voltamos a procurá-lo, mas até o presente momento não logramos êxito” informou Deise ao meio dia de terça-feira, dia 23.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »