06/08/2020 às 15h42min - Atualizada em 06/08/2020 às 15h42min

De gospel a sertanejo, Giovana faz sucesso

Entre os cantores da região, exclusivamente em Palma Sola, está Giovana Gomes, de 16 anos, uma linda e adorável jovem, que desde criança guarda consigo uma das grandes vozes já escutadas nos municípios circunvizinhos, prova disso, são suas vitórias em diversas competições de canto. De acordo com a palmassolense, a música gospel sempre foi seu estilo predileto, mas no decorrer dos anos, seus gostos foram se adequando ao sertanejo e a Música Popular Brasileira (MPB). Já fazem 13 anos que está no meio musical.
“Quando pequena, gostava de ficar ouvindo CDs e tentava acompanhar. Aos 4 anos comecei a participar do coral Sonho Meu, aqui de Palma Sola, e minhas primeiras professoras foram a Sandra Straub e a dona Judite Tibola. Foi ali, com elas, que me apaixonei mais ainda pela música e o coral era minha atividade favorita. Sempre gostei de música gospel e até então só ouvia e cantava esse estilo. Aos 8 anos, comecei cantar na igreja e fui perdendo um pouco da timidez do público. Com 10, já estava no coral Palma Sola Encanto com a professora Téya Girardi, que é uma das minhas inspirações na música”, ressalta.
Seu primeiro prêmio veio também aos 10 anos, quando cantou em seu primeiro festival, o Fecaps, onde ficou em 4º lugar. “Sempre tive o sonho de participar de festivais, mas era bem tímida, então essa classificação já foi uma conquista imensa. Depois dali, continuei no coral e cada vez mais fui buscando músicas novas e aprendendo técnicas. Com 11 anos, comecei a fazer aulas de técnica vocal na Sonata Escola de Música de Francisco Beltrão, onde tive uma evolução enorme em questão de técnica e fiquei por um ano”, acrescenta.
 
Contato com instrumentos
Aos 13 anos, Giovana começou a ter aulas de teclado, com o maestro Rafael Varga, onde também estudou por um ano. Após, iniciou cantando no grupo de italiano La Terra Del Pin, onde conquistou conhecimento sobre a música italiana, com a ajuda da Odete Mingori. Com essa nova técnica, apresentou-se em diversas cidades da região cantando italiano. As vitórias começaram a chegar logo após o seu primeiro festival gospel, realizado em Flor da Serra do Sul. Onde sagrou-se campeã.
Após ele, participou de outro em Salgado Filho, ficando novamente com o 1º. “Depois dessas vitórias continuei criando experiências e melhorando, pois na música sempre tempos no que melhorar. Continuei apresentando em escolas, eventos, na igreja, em mateadas, em apresentações do município e em outros. Em 2019, retornei as aulas de canto na escola Sonata, onde ganhei novas experiências que me ajudam muito. O meu último festival gospel foi em Dionísio Cerqueira”, complementa. Gi também ficou campeã da fase juvenil do último Fecaps.
 
13 anos de muita música
“Com os anos fui me aprimorando nos estilos musicais, saindo um pouco do gospel. Acredito que quem sobe num palco e consegue vivenciar a energia incrível que ele possui nunca mais quer descer dele; lá, sem dúvidas é meu lugar favorito. E eu sou muito grata a cada um que me ajudou a chegar onde cheguei. Guardo no coração cada um que faz parte dessa minha história, principalmente meus últimos professores: Andi Cavanhol e a Téya, que sempre estiveram dispostos a ajudar. Agradeço ao Rosalino Siqueira que está sempre me acompanhando e apoiando”, agradece. 
“Hoje, já fazem praticamente 13 anos que estou envolvida nesse meio musical, onde continuo aprendendo e vivenciando muita coisa. A música é uma das coisas mais importantes da minha vida e o coral foi o ponto principal. Hoje participo da Associação Folclorica Talian, onde continuo aprendendo músicas italianas. Quero buscar mais conhecimento e buscar evoluir. Quero me preparar bastante para os próximos festivais. Nunca foquei muito em questão de prêmios, pois acho que a música vai muito além. É algo pra sentir. E meu objetivo é tentar passar emoção através da música, pois ela é feita para se compartilhar momentos, histórias e muita alegria”, enfatiza.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »