27/08/2020 às 15h00min - Atualizada em 27/08/2020 às 15h00min

De pedreiro a fazendeiro, sulflorense investe em inovação

Odecir Pazolini é mais um dos trabalhadores que investiram em inovações por conta de circunstâncias adversas. Além do novo sítio, está feliz por passar mais tempo fazendo o que gosta

Com o passar dos anos e também com a pandemia de Covid-19, muitos brasileiros se reinventaram. Seja em questões políticas, sociais, culturais ou até mesmo, em sua forma de viver e de buscar o sustento. Vemos grandes e pequenos empresários buscando inovações para suas empresas. E também, trabalhadores de diversos segmentos que deixam do que fizeram durante anos, por conta de circunstâncias adversas, como saúde e família. Nos últimos dias, diversos investidores, que eram desconhecidos aos olhos de muitos, saíram das sombras.  
Em Flor da Serra do Sul, dificilmente haverá alguém que não conhece o Ico Pazolini. Bastante conhecido por ser trabalhador, engraçado e por não perder a oportunidade de tomar uma boa cerveja ao lado dos amigos. Odecir, é natural de Descanso, está com 56 anos e reside no município há pelos menos 50. Desde os 12 trabalha como pedreiro, serviço onde fez a vida. Com o passar do tempo, realizou centenas de construções e se destacou pela qualidade e eficiência no serviço, apesar de trabalhar sozinho na maioria das vezes.
 
Seu novo sítio
Há pelo menos seis anos, Ico se acidentou durante uma construção e machucou o antebraço. Após o acontecido, a força para o serviço nunca mais foi a mesma. O que fez com que ele começasse a examinar outros meios de trabalho. O amor pela fazenda e pelos animais sempre prevaleceu em seu coração. “Sempre tive paixão por essa lida. Há anos possuo criações e plantações. Sempre com o objetivo de abastecer a casa e distribuir os produtos a família. Acho que já faz uns três anos que não compro carne no mercado”, acrescenta enfatizando que no momento, trabalha na expansão de seu sítio, localizado na Linha Pedra Lisa, interior do município.
“Possuía um sítio em outra localidade, onde vendi e comprei esse. Investi R$ 101 mil em 30.000m². Como não podia mais trabalhar de pedreiro, decidi me dedicar a fazenda. Coisa que amo desde pequeno. Hoje estou começando a arrumar o espaço, colocando alguns bichos; já tenho alguns terneiros, umas ovelhas, galinhas, porcos, patos e até cabritos. Pretendo ficar mais aqui do que na cidade quando a casa estiver pronta”, complementa. Odecir é casado há 36 anos com Inês Pazolini e pai de três filhos homens.
“Junto da família, vou construir a casa e terminar as obras por aqui. Depois é só descansar e cuidar dos bichos. Logo vou ter o projeto da casa, já tenho grande parte do material, uns 5 metros de areia e cimento. Precisa também cascalhar a estrada que vem até aqui e uma parte que vou construir um quiosque”, esclarece destacando que se desloca da sua casa na cidade todos os dias para cuidar do sítio e que em no máximo três anos tudo estará pronto. 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »