01/10/2020 às 15h34min - Atualizada em 01/10/2020 às 15h34min

Pro Menor inicia trabalhos para o Dia das Crianças

Sem poder realizar nenhuma promoção, a instituição inicia a confecção de presentes para seus alunos

Da redação
Sendo uma instituição de caráter educativo e sem fins lucrativos, o Pro Menor de Campo Erê, desenvolve trabalhos direcionados exclusivamente a crianças e jovens, de 6 a 15 anos, por meio de cursos e oficinas socioculturais, como: violão, informática, italiano, bordado, reciclagem, crochê e outras. Estando com suas atividades paralisadas, por conta da pandemia, recorre a outros serviços.
Segundo conta a coordenadora Nair Tenroller, a entidade depende do transporte escolar, por esse motivo, precisa se manter paralisada – mesmo que as atividades fossem realizadas com poucos alunos e em períodos diferentes. “Nós funcionários, só estamos trabalhando no período da tarde, onde realizamos algumas atividades. Por enquanto, sempre que recebemos doações de alimentos, passamos a diante, onde entregamos a famílias de alunos carentes, para que não fique guardado”, conta.
 
 
Possíveis promoções
A coordenadora declara que atendem mais de 100 alunos e que entre as atividades realizadas neste período, está a confecção de lembrancinhas para o Dia das Crianças, comemorado na primeira quinzena deste mês. “Estamos confeccionando alguns travesseiros, que possivelmente entregaremos a eles, junto de alguns doces”, acrescenta enfatizando que além disso, as voluntárias estão costurando algumas sacolas e auxiliando no planejamento de possíveis promoções para os próximos dias.
 “Pensamos em realizar um festival de cucas caseiras, além de um brechó de roupas e calçados usados. Ainda não temos nada fechado, mas são eventos que ajudarão a escola a se manter e continuar trabalhando”, esclarece. 
A entidade está se mantendo com recursos oriundos de contribuições de associados, contribuintes mensais, doações e promoções passadas. Nair acrescenta que a horta foi um dos únicos trabalhos que continuou funcionando, onde possuem diversas verduras plantadas. “Ouvimos muitos relatos de alunos e de mães que dizem sentirem muita falta da instituição, principalmente pelo auxílio que dávamos para as atividades escolares. Queria dizer que sentimos falta também e que a escola está vazia e fria sem eles”, finaliza.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »