05/10/2021 às 17h44min - Atualizada em 05/10/2021 às 17h44min

Produção de feno na propriedade Roman

A primeira produção de feno de Marcos e Eliane Roman rendeu mais de 120 mil fardos de feno

Da redação
Rodrigo Mantelli
Marcos Colossi e Eliane Roman são de Campo Erê, eles estão produzindo feno pela primeira vez de forma independente. Ao invés de engordar gado, o casal investiu em maquinário e plantou cerca de 300 hectares de azevém. Segundo Eliane a produção foi boa resultando em aproximadamente 412 fardos de feno por hectare. Cada fardo é vendido a aproximadamente R$ 15 pesando entre 12 a 15 quilos.
“No ano passado fizemos uma parceria com um pessoal de fora para produzir um pouco de feno. Gostamos desse mercado então mantivemos nosso gado confinado e partimos para produzir os fardos de feno. Muitas pessoas da região estão produzindo o bolão de pré-secado, como ele é pesado, dificulta o manuseio e transporte para o pequeno produtor”, explica Eliane.
O casal ainda explica sobre a escolha da matéria prima para produzir feno: o azevém. “O feno de azevém é um dos mais aceitos no mercado. Entre um feno de azevém e um feno de aveia, o pessoal prefere o azevém, muito por conta do teor de proteína, que fica entre 19% e 20%, além disso, ele é bem aceito pelos animais, por ser macio”, explica Marcos.
“Mesmo sendo um dos fenos mais aceitos no mercado, o azevém é uma matéria prima difícil de se encontrar. O pessoal faz feno de aveia ou de outra matéria prima, pois tem medo do azevém resistente, que rebrota na hora de plantar a soja”, explica Eliane.
 
Fazendo feno
O primeiro passo é cortar o azevém com a segadeira e espalhá-lo, para que ele seque naturalmente com o sol. Quando está seco ele é enleirado com o ancinho para que a enfardadeira passe recolhendo e enfardando o feno. A partir daí ele está pronto para o consumo.
 “Aqui a produção de feno é quase toda manual, mas a mão de obra é escassa, dificultando o trabalho. Entre os dias que cortamos, enfardamos e carregamos estávamos nuns 10. Felizmente vamos ter feno para vender até o fim do ano. Uma pequena parte vai ficar para o consumo dos nossos animais”, afirma Marcos.
Além do espaço limitado, a falta de mão de obra é um dos fatores que impede o pequeno produtor de fazer seu próprio feno, então se torna mais vantajoso comprar os fardos de feno.
 
Vantagens do feno
Diferente do pré-secado, o feno seca naturalmente. “Com isso não é necessário por inoculantes, que encarecem o produto. O pré-secado também leva o plástico, que é uma matéria prima cara e demanda de mais maquinário, elevando os custos. O Feno é maia barato de produzir e consequentemente vendemos por um preço melhor” conta Elaine.
O feno pode atender desde aqueles que tem um cavalo até os que têm produção de gado em larga escala. “Vendemos muito para quem tem gado leiteiro. Hoje a maior parte do gado leiteiro é confinado e como a produção de milho e silagem foi mais fraca o feno está sendo um bom substituto. Alguns clientes de São Bernardino vieram buscar mais feno pois observaram um aumento na produção de leite” afirma Marcos.
Diferente do bolão, o feno em fardos é pequeno e não estraga se for aberto. “O bolão precisa ser consumido logo após ser aberto para que não estrague com a umidade, um produtor pequeno corre risco de desperdiçar alimento, então o bolão é mais indicado para quem tem muitos animais, assim é melhor aproveitado”, afirma Marcos.  

Receba as notícias do Portal Sentinela do Oeste no seu telefone celular! Faça parte do nosso grupo de WhatsApp através do link: https://chat.whatsapp.com/Bzw88xzR5FYAnE8QTacBc0
Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/jornalsentinela/
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »