06/04/2022 às 08h17min - Atualizada em 06/04/2022 às 08h17min

O Carnaval dos Nossos Dias

Coluna de opinião do jornal impresso

Parecer estranho falar de carnaval em plena quaresma, não é? Porém é a realidade de nosso tempo.
Carnaval é uma festa pagã nascida no antigo Egito, onde homens e mulheres se reuniam no verão, pintavam o rosto e o corpo para espantar os demônios da colheita. Assim nasceu essa festa que se espalhou pela Europa, especialmente França e Itália, posteriormente chegou as terras tupiniquim.
O carnaval em si é uma ilusão? Não ilusão não é. Para muitos, verdadeiramente é apenas uma fuga dos problemas reais da vida. Fazem do carnaval uma negação do bom senso e da realidade da vida. Quantos brasileiros deixam de lado compromissos assumidos e suas responsabilidades de lado, só pela ilusão de pular, dançar e deixar cair às máscaras em três dias de folia?
Neste ano o Carnaval terá data especial em função da famigerada pandemia a cidade que promove os maiores desfile tem data marcada para 21 de abril em pleno feriado de Tiradentes. Soa estranho, justamente o dia em que comemoramos o dia da Inconfidência Mineira. Cuja figura central, Joaquim da Silva Xavier, foi morto e esquartejado pelas ruas. Os foliões estarão sambando em festa.
Quem não conhece histórias de famílias desfeitas, estupros, mortes violentas no trânsito, pais de família em dificuldades financeiras pela gastança descontrolada, sem falar de bebedeiras e drogas correndo soltas. Tudo para acabar numa grande ressaca na Quarta Feira de Cinzas.
Somam a isso, os desfiles de escolas de samba nas avenidas com os temas mais esdrúxulos possíveis e inimagináveis. Temas antirreligiosos, em uma total falta de respeito e formação cristã da maioria do povo brasileiro. Pior de tudo, com ampla divulgação pela mídia como se Carnaval fosse o ópio do povo. 
Se a festa de carnaval fosse de bom senso não haveria necessidade de tantos investimentos tanto luxo. Mas é claro que quem investe quer retorno e não é pouco, o agravante vem por conta de quem patrocina, já que nem sempre esse patrocínio vem de fontes lícitas, me refiro a algumas famosas Escolas de Samba ou Blocos. É sabido que muitas são mantidas pelo jogo do bicho, tráfico de drogas, PCC ou outros grupos do Crime Organizado.
Em nossa região não temos escolas de samba, nossa preocupação não é tanta assim, felizmente, o que não nos isenta da obrigação de zelar pela integridade física e moral de nossas famílias especialmente dos jovens, já que hoje a droga e o álcool estão disseminados em qualquer região. Pequenas e grandes cidades são alvo de marginais e traficantes principalmente nestas épocas.
Estejamos atentos: Ninguém pode ser impedido de se divertir mais é importante saber como aproveitar esses dias de folia para que ao final não sintamos o gosto por não medir as consequências. Não querendo parecer saudosista, quem não lembra as românticas marchinhas de carnaval de antigamente, recheadas de Pierrôs e Colombina. Esses eram realmente “Outros Carnavais”.
 
Tristeza não tem fim. Felicidade, sim...
A felicidade é como a pluma. Que o vento vai levando pelo ar
Voa tão leve. Mas tem a vida breve. Precisa que haja vento sem parar...
A felicidade do pobre parece. A grande ilusão do carnaval
A gente trabalha o ano inteiro. Por um momento do sonho
Pra fazer a fantasia de rei, pirata ou jardineira.
E tudo se acabar na quarta-feira
 (Tom Jobim e Vinicius de Morais)
 
Por: Reinaldo Guimarães
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »