28/08/2020 às 17h51min - Atualizada em 28/08/2020 às 17h51min

APAES aderem à Semana Nacional da Pessoa com Deficiência

Neste ano, a popular Semana Nacional da pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla debate o protagonismo e o empoderamento

Celebrada entre os dias 21 e 28 de agosto, a Semana foi instituída em 1964 pelo Decreto nº 54.188, inicialmente titulada Semana Nacional da Criança Excepcional, porém alterada pela Lei 13.585, em dezembro de 2017, passou a chamar-se Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla.
Neste ano, trabalhasse o tema: “Protagonismo empodera e concretiza a inclusão social”, que foi definido pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae Brasil), e é voltado a sensibilização da sociedade quanto ao desenvolvimento de conteúdos e de políticas públicas para promover a inclusão social das pessoas com deficiência diante de tantas negligências históricas de seus direitos e combater o preconceito e a discriminação.
É necessário enxergar o “normal” antes de enxergar o deficiente, é com essa máxima que a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) ressalta a necessidade da sociedade, travestida de tantas formas de preconceito e de segregação, ter um olhar humanizado em relação as pessoas com deficiência ou aos “excepcionais”, diante disso colabora com essa ação.
 
Em Flor da Serra do Sul 
 A APAE sulflorense comemora anualmente estes sete dias junto da instituição de Salgado Filho e de Palma Sola, onde realizam confraternizações, danças, jogos e palestras para os estudantes, pais e comunidade, com temas como prevenção de deficiência, direitos de inclusão de pessoas com deficiência perante a sociedade, entre outros. Neste ano, em virtude da pandemia, será comemorado de uma forma diferente, onde cada um ficará em sua casa.
Segundo a diretoria da escola, os estudantes receberão uma cesta de produtos alimentícios com guloseimas, e os professores, juntamente da direção e da equipe pedagógica, além dos profissionais de saúde, realizarão a produção de vídeos para encaminhar via WhatsApp para os estudantes e mensagem impressas. “Essa foi a forma que encontramos para fazer com que nossos estudantes sintam-se acolhidos, e continuem em casa se cuidando e estudando no período de quarentena, a saudade está grande, mas a pandemia vai passar e nosso carinho e afeto por cada estudante vai além de ensinar”, acrescenta.
 
Em Palma Sola
No município, a Semana iniciou com uma carreata e atividades diferenciadas, mas sem aglomerações. Neste ano, não irá acontecer a união com a instituição sulflorense para a realização de eventos. Os projetos, infelizmente, precisaram ser modificados, e passaram a ser realizados e divulgados por meio das redes sociais – uma das criações, é a produção de vídeos. Estão sendo entregues apostilas com matérias diversos, entre os confeccionados pelos professores. “Para cada aluno, precisamos pensar e criar formas diferentes de ensiná-los, pois nenhum é igual. Além disso, terminamos a Semana com a entrega de pizzas aos alunos, onde os palhaços Papati e Patata estiveram presentes”, destaca a assistente social, Fabiane Pires Santolin.  
 
Em Anchieta
Neste ano, seria realizada a terceira edição da “Caminhada Laranja”, em homenagem ao “Agosto Laranja”, onde envolveria a escola, famílias e comunidade. Por conta da pandemia, o evento precisou ser extinto e as atividades passaram a ser desenvolvidas de forma online, onde a equipe pedagógica e coordenação, produzem vídeo aulas e repassam os assuntos aos alunos, por meio das redes sociais ou de apostilas. Segundo a direção, os projetos anuais precisaram ser modificados, mas felizmente, todos os alunos estão sendo beneficiados, seja com o conteúdo pedagógico ou com atividades diversas, em comemoração à semana.
 
Em Guarujá do Sul, São José do Cedro e Campo Erê
Nestas instituições, as atividades foram complementadas da forma online. Além da entrega de apostilas, os alunos são beneficiados com produções de vídeos e atividades diversas. Os cronogramas precisaram ser modificados, e muitas interações foram deixadas de lado. “Ame seu filho! Falta de afeto, vínculo e de estímulos podem prejudicá-lo. A estimulação em ambiente familiar e escolar é essencial ao desenvolvimento da criança, desta forma: brinque, cante, converse, leia histórias e ensine coisas novas”, destaca a escola campoerense, que vem fazendo um longo trabalho de conscientização as famílias.

O que é deficiência intelectual e múltipla
A deficiência intelectual é um transtorno de desenvolvimento que faz com que o indivíduo tenha um nível cognitivo e comportamental muito abaixo do que é esperado para sua idade cronológica. Já a deficiência múltipla é quando pessoas são afetadas em duas ou mais áreas, caracterizando uma associação entre diferentes deficiências, com possibilidades bastante amplas de combinações.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »