20/11/2020 às 08h38min - Atualizada em 20/11/2020 às 08h38min

Santa Catarina é o 5º estado com mais infectados por Covid-19 no país

Com picos de casos ativos que a cada dia alcançam patamares inéditos

Carla Sampaio
Da redação com informações NSC total

Santa Catarina vive um momento delicado em relação ao coronavírus. Com picos de casos ativos que a cada dia alcançam patamares inéditos, o Estado cruzou também a marca das 300 mil pessoas infectadas desde o início da pandemia. Com o número, SC se tornou o quinto Estado com mais casos acumulados de Covid-19 no país, atrás apenas de São Paulo, Minas Gerais, Bahia e Rio de Janeiro.

A situação coloca Santa Catarina acima dos vizinhos Paraná e Rio Grande do Sul, além de outros Estados mais populosos no Brasil. No cálculo da proporção de casos a cada 1 milhão de habitantes, a curva de SC está em crescimento e já é a sexta maior do país, acima da média nacional e de outros Estados que viveram a pandemia de forma grave, como o Amazonas.

Somente no boletim divulgado pelo governo de Santa Catarina nesta quarta, 18, 4210 novos casos de covid-19 foram confirmados, fazendo o Estado totalizar 306,7 mil pacientes infectados até hoje. Para especialistas, os números já refletem uma segunda onda que, no ritmo atual e com o relaxamento das medidas de distanciamento social, não tem data para acabar.

No início, em março e abril, Santa Catarina saiu na frente. A gente conseguiu controlar ao diluir os casos. Iniciamos antes de qualquer Estado do Brasil as medidas de quarentena, conseguimos ficar preparados para leitos de UTI e tudo mais. Mas Santa Catarina começou um relaxamento de forma tão importante que as pessoas entendem que não tem mais o vírus — avalia a infectologista Sabrina Sabino.

A especialista destaca que a curva de contágios em SC foi diferente dos outros Estados que também romperam a marca de 3 mil casos de Covid-19. Ela aponta que São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo, atingiram um pico e estão se mantendo no mesmo patamar, enquanto SC teve um auge de casos entre julho e agosto, viu uma queda significativa em setembro e agora vive um novo pico de crescimento.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »