20/06/2020 às 09h14min - Atualizada em 20/06/2020 às 09h14min

Filhos e quarentena

Há alguns meses não escrevo sobre a rotina com os meus filhos. Deu saudade.
E você que tem filhos, como está se virando neste período de quarentena?
Nesta segunda-feira, dia 15, logo que cheguei em casa, por volta das 19h, fui até a cozinha, dei um beijo na minha esposa e antes de terminar a primeira cuia de chimarrão escuto a Lorena gritando da sala: ‘Pai vem ver o que o Guto fez!’
A Mari já havia me dito: ‘se ele estiver quieto, vai ver porque tá fazendo arte’. Estava. Riscou toda a tela da TV com um giz de cera. O Augusto tem dois anos, mas como toda criança desta idade parece que tem um bicho da tasmânia por dentro.
Levou duas boas palmadas e chorando disse: “Papai, você não pode brigar comigo, eu te amo”. Esta é a hora que eu esfrego o rosto de aflição e me concentro pra não bater mais ou para não dar um beijo nele e rir da situação.
 
Dente preto que ficou branco
Dias atrás foi a vez da Lorena, estava pulando no sofá junto com o Augusto, de repente caiu e bateu com o rosto na parede, na hora o dentinho superior da frente amoleceu e começou a sangrar. Ela berrava, acho que não era tanto pela dor, mas pelo susto e por sentir o sangue. No mesmo dia a levei até o dentista bater um Raio-X; felizmente só machucou o dente de leite. Nos dias seguintes o dentinho de leite escureceu, ficou horrível. Toda noite a Lorena nos fazia rezar e pedir para a fadinha do dente vir logo pra levar este dentinho preto. A Lorena já nem sorria de vergonha. Eu e a Mari não víamos a hora deste dente cair.
No último final de semana deixamos meus pais levarem a Lorena. Quando ela voltou ficamos estarrecidos, o dentinho não estava mais cinza, estava clareando. Se alguém me falasse eu não acreditaria. Nunca ouvi dizer que um dente escurecido por pancada pudesse voltar a ficar branco. Milagre! Como me disse o dentista da família: ‘Coisas da Lorena, o anjinho em vez de levar o dente, clareou-o’.
 
Tempo de quantidade e qualidade
Tudo isto que escrevi acima faz parte da rotina dos pais. Se você é pai ou mãe deve ter as suas histórias nesta quarentena. Se não tem é porque não está passando tempo suficiente com o teu filho. E não me vem com a história de tempo de qualidade. Para criar filho tem que ter tempo de quantidade e depois de muita quantidade, qualidade.
Vejo muito homem fugindo porque não consegue aliar a paternidade com a função de provedor, ou ‘pegador’. Tem até mãe que foge da maternidade, se joga no trabalho e deixa o filho nas mãos de uma tatinha ou na casa das avós.
Tenho muito orgulho de dizer que estava com a minha filha quando caiu o primeiro dente, o segundo. Na primeira vez que o Augusto caminhou. E sim, é muito, muito difícil ter filho! Sei que é muito fácil terceirizar a criação para a Patrulha Canina, para a Masha e o Urso, para a babá, para a avó e pra escola. Muitas vezes há desconforto para o casal, especialmente para o pai em desligar todos os eletrônicos e ficar só com os filhos.
Mas é preciso. Seu filho só quer você, brincar contigo, te mostrar um brinquedo, contar alguma coisa, dançar uma música; ele quer ficar um tempo de qualidade ao seu lado, mas também quer quantidade. Afinal, você não se torna um grande amigo do seu filho se passa pouco tempo com ele.


Igor Vissotto 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »