13/08/2020 às 08h39min - Atualizada em 13/08/2020 às 08h39min

Por que o príncipe Philip, esposo da rainha Elizabeth, não é rei?

Philip, marido da rainha, nasceu como príncipe da Dinamarca e da Grécia, mas foi obrigado a abandonar seus títulos para poder se casar com a monarca, e tornou-se apenas Philip Mountbatten. Entretanto, para não deixar o amado sem cargos, Elizabeth o concedeu diversos títulos, incluído o de Sua Alteza Real, o Príncipe Philip e Duque de Edimburgo. Segundo as leis britânicas, apenas monarcas homens concedem o título para as esposas, tornando-as rainhas. Entretanto, quando se trata de monarcas mulheres, a lei muda.
A princesa que assumir o trono, e se tornar rainha, não passará o título de rei consorte para o marido. Foi uma forma encontrada de evitar que a linhagem real não passe para a família do homem. Dessa forma, quando o rei George VI faleceu, em 6 de fevereiro de 1952, Philip não teve o direito de se tornar rei e, apenas Elizabeth recebeu o cargo de rainha. Durante a cerimônia de coroação, o Duque de Edimburgo teve que se ajoelhar aos pés de sua esposa e jurar honrá-la e obedecê-la, conforme diz a tradição, em uma curiosa contradição: na época, apenas as mulheres juravam honrar e obedecer durante a cerimônia de casamento.
Aos 94 anos, a rainha Elizabeth II é a monarca que está a mais tempo no trono britânico. Em seus 68 anos de reinado e 73 de casamento, já teve cerca de 14 primeiros-ministros. Contudo, o que acontecerá após a sua morte já está planejado e é guardado desde 1960. A título de curiosidade, o dia do funeral da rainha deverá se tornar feriado nacional, assim como a coroação do próximo monarca – príncipe Charles.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »