11/09/2020 às 13h41min - Atualizada em 11/09/2020 às 13h41min

Carta do leitor - Publiquei um livro de minha autoria

Meu nome é Letícia Maria Venson, sou natural de Palma Sola, onde vivi até 2014, ano em que me mudei para Chapecó para fazer a minha graduação. Sou formada e licenciada em História, pela Universidade Federal da Fronteira Sul (2018), mestre em História pela mesma instituição (2020) e atualmente doutoranda pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).
Comecei a escrever durante a graduação em História, primeiramente os trabalhos acadêmicos, artigos/ensaios/revisões bibliográficas e posteriormente a minha monografia, que resultou no livro que publiquei neste ano, sendo meu primeiro livro. Gosto de escrever sobre história, pois é a área que eu pesquiso. A pesquisa foi desenvolvida entre 2015 e 2018, porém, o livro foi organizado somente em 2020, por estímulos dos meus professores do mestrado, em especial meu orientador Dr. Antônio Marcos Myskiw.
O livro fala sobre a Colônia Militar do Xapecó e José Bernardino Bormann, tendo o recorte temporal de 1880 a 1898. Essa foi a primeira tentativa de controlar e proteger o espaço que viria a ser o atual Oeste Catarinense. Ela se localizava nos atuais municípios de Xanxerê, Xaxim e Fachinal dos Guedes e teve como primeiro diretor e responsável por sua instalação José Bernardino Bormann, que era veterano da Guerra contra o Paraguai, político que fez toda sua carreira no estado do Paraná, chegando a ser vice-governador em 1901 e escritor, tendo vários livros de história.
Ela também distribuía as terras gratuitamente, por meio de títulos provisórios e definitivos; a maioria da sua população era do Paraná e teve um número bem reduzido de imigrantes, mas manteve seu funcionamento até o ano de 1908 e tinha como base de sua economia a agricultura, que não foi muito desenvolvida, devido à falta de boas estradas ligando com o restante do Estado e demais localidades. Analiso o território quando ainda fazia parte e era administrado pelo Paraná.
 
Livro
Publiquei pela editora Acervus, de Passo Fundo, onde um colega de pesquisa, Alex Antônio Vanin, atualmente doutorando da Universidade de Passo Fundo, é proprietário. Em um primeiro momento, o livro seria apenas um e-book, mas em conversa com a minha família decidi por fazer uma versão impressa, contratando a Gráfica Varella de Erechim. Entre editoração e gráfica o investimento foi de mais ou menos R$ 1.500, pois imprimi somente 70 livros.
Para escrever, fiz pesquisas no Centro de Memórias do Oeste Catarinense (Ceom), localizado em Chapecó e no Arquivo Público do Paranán disponível online. Defendi minha dissertação no mês de julho desse ano, e pretendo publicar em forma de livro, mas é um projeto para o próximo ano. Neste, estou organizando um livro com os meus colegas de mestrado, sobre pesquisas desenvolvidas no Programa de Pós Graduação em História da Universidade Federal da Fronteira Sul, para ser publicado entre fevereiro e março de 2021.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »