16/10/2020 às 08h13min - Atualizada em 16/10/2020 às 08h13min

TDM – Síndrome ainda mais presente em épocas de eleição. Você a conhece?

Coluna de opinião do jornal impresso

Larissa Dias
Da redação
Pertencer é uma das nossas grandes necessidades. Nessa época de eleição, convido a refletir sobre uma síndrome que acomete muita gente e prejudica esse pertencimento aos nossos municípios. Muitos a têm e não sabem. Se portam como portadores, mas não sabem. Ela se chama TDM – Tadinho De Mim.
As pessoas que sentem muita pena de si, se portam como coitadinhas, também se atribuem uma incapacidade para resolver questões que as prejudicam e não ajudam os outros a encontrar soluções para o que faz mal a si e a coletividade. Essa síndrome é mais comum do que se imagina. As pessoas com pena de si vão buscar desculpas pra tudo, não agem e postergam ações que levariam às soluções ou superação dos problemas.
TDM, não é nada científico mas é observável. É do conhecimento popular. É contagiosa. É do conhecimento das pessoas que têm olhos para observar e ouvidos para escutar. E que, muitas vezes ouvem tantas queixas, tantas reclamações, muitas infundadas, sempre com atribuição de culpa à outrem e com espera que a solução venha de fora pra dentro. Sempre de fora.
Pessoas com síndrome do TDM, são tão carentes que justificam sua lamentações com "nunca ninguém me cumprimenta, nunca ninguém me dá bola" e, se tornam tão carentes, que numa época como a que estamos vivendo, de eleições, vota no primeiro político que interesseiramente lhe dá um pouco de atenção ou lhe oferta algo em troca. O Tadinho de Mim, não sabe ou não percebe, mas ele decide muitas coisas, e decide com base em receber um pouquinho de atenção, algumas promessas, na maioria não cumpridas, ou quando muitas vezes, o que é pior ainda, receber um troco em troca de seu voto.
Mal percebe ele, que está prejudicando a si, a sua família, suas futuras gerações. Está fazendo mal a sua comunidade, a sua cidade, ao seu município, ao país inteiro. Então, o meu convite à reflexão: não tenha pena de si! Insira-se no seu espaço, no seu município, como realmente aquela pessoa participante que busca através de ações conscientes e responsáveis, soluções para a coletividade.
Peça ao político apresentar-lhe um plano de trabalho. Peça ao candidato quais as ações que ele defende. Mas não em palavras discursivas, mas o que ele realmente ele vai fazer para seu município:  Quando? Como e de Que Forma? Deixe de ter pena de si! Muitas pessoas com pena de si, quando um candidato lhe toca a mão, lhe cumprimenta, toca-lhe o braço, tem uma conversa afável, diz que dialoga... será?! E aí vota!
Que critérios de escolha são esses? Cadê os planos de trabalho? Por favor, deixe de ser tão carente, de olhar só para o seu umbigo. Olha para tudo. Deixe de ter o TDM, de ser o coitadinho e passe a exercer o poder que você tem, a capacidade que você tem, a possibilidade que você tem agora, de mudar o seu município, através dos futuros vereadores e futuros prefeitos. Pense bem e não tenha pena de si.
Não aceite migalhas, aceite planos de trabalho. O meu convite é para pensarmos como estamos agindo agora, nesse tempo de decisão, para que realmente a gente possa pertencer e defender de verdade, o melhor, o desenvolvimento, o crescimento, a qualidade de vida e a história de nosso município.
 
Por Leonita de Souza
Canal do Youtube: canaldaleonita
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »