28/01/2021 às 14h44min - Atualizada em 28/01/2021 às 14h44min

Onde querem chegar?

Coluna de opinião do jornal impresso

Da redação
Um ano que nasceu ou iniciou com grandes expectativas e grandes esperanças nos meios de saúde e nos meios políticos como é de praxe. No campo da saúde, as coisas estão indo devagar, o que, segundo especialistas, essa lentidão é compreensível. Sinceramente, creio que o mundo e principalmente nosso país precisa ser vacinado para que as coisas comecem a tomar um novo rum, e que alcancemos o tão sonhado crescimento econômico e a estabilidade igualmente desejada.
É triste e lamentável saber e constatar que nossos políticos, principalmente na área federal, continuam a dar espetáculos deprimentes para não falar coisas piores. É o caso de diversos prefeitos de vários estados do Nordeste, que se vacinaram com a simples desculpa de incentivarem a população a tomar a vacina. Quando sabemos nem existe a vacina para a dita população? Também em Manaus, duas médicas de 24 anos recém-formadas e que nem fazem parte de grupo prioritário, já que não atuam na linha de frente como seus colegas. Se for relatar aqui todos os casos não teríamos espaço.
Tudo isso sem falar da corrupção desavergonhada e desprovida de qualquer escrúpulo ou sentimento humano contra o povo, que aconteceram e continuam acontecendo. A onda agora é o pedido do impeachment do presidente Bolsonaro. Pois bem, se encontrarem algum fato que desabone sua conduta estou de pleno acordo, desde que existam provas, o que até agora ninguém encontrou. Falta de vontade de seus acusadores certamente não falta, o que sobra são críticas e maledicência especialmente dos que estavam acostumados a se locupletar com dinheiro dos cofres públicos. Parece que o atual governo fechou o cofre para esses casos. Na verdade, está faltando espírito de brasilidade para nossos políticos bem como para alguns dirigentes de instituições.
Oxalá, que nosso povo acorde para dar apoio ao que realmente importa e a cada dia mais forje seu caráter de honradez, na moral, nos bons costumes e na garantia da não corrupção. Que possamos nos sentir um pouco Rui Barbosa e nos associar aos seus pensamentos. “De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”. Que esse pensamento nos faça refletir e chamar atenção para que sejamos autores da nossa história, não nos deixando engambelar com coisas mirabolantes e que levam ao retrocesso.
 
Por Reinaldo Guimarães
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »