Sentinela do Oeste Publicidade 1200x90
12/07/2023 às 09h14min - Atualizada em 12/07/2023 às 09h14min

Morreu anjinho

Coluna de opinião do jornal impresso

Infelizmente, na última segunda-feira, dia 10, morreu uma bebezinha linda aqui da cidade de Palma Sola, a Isis de apenas 7 dias. Psicólogos são unanimes em afirmar que a dor e o trauma de perder um filho é a mais avassaladora que um pai e uma mãe podem sofrer. Que Deus dê forças ao Igor Rebelato e a Isabel Luft, assim como os demais familiares e todos os amigos enlutados.
 
Reforma Tributária
Depois de décadas em discussão a reforma tributária – ou seja a proposta que muda como os impostos são cobrados no Brasil – passou a primeira barreira na câmara dos deputados. Lembro que a proposta ainda precisa passar pelo Senado onde poderá sofrer alterações e isto deve acontecer daqui uns dois a três meses.
Aqui na minha coluna não vou opinar se isto é bom ou ruim, falei com três contadores, li bastante a respeito, vejo que há coisas que avançaram e melhoraram, mas também há pontos bem ruins. No final das contas não me sinto com propriedade para opinar, mas posso apontar em linhas gerais o que muda, o que não muda, o que ficou para ser definido mais para frente e porque isto é tão importante para todos nós.
 
Por que mudar?
O Brasil tem um dos sistemas mais complexos de impostos do mundo. Para as empresas o simples ato de pagar um imposto requer dezenas de advogados tributaristas que consigam entender as leis. O problema é que a lei tem muitas regras e muitas exceções e é preciso que isto seja simplificado.
Economistas apontam que esta confusão tributária gera desperdício de bilhões de reais. Se pagar imposto no Brasil fosse mais eficiente o país economizaria muito dinheiro e é por isto que é necessário se fazer uma reforma tributária.
 
O que vai mudar?
Simplificar as regras significa acabar com impostos complicados e criar outros mais simples. Os  impostos que serão cortados: IPI, PIS, Cofins, ICMS e ISS. Estes cinco impostos serão substituídos pelo IVA, o Imposto Sobre Valor Agregado. O IVA se divide em dois impostos, um que vai para o Governo Federal e outro que vai para Estados e Municípios.
Outro imposto que está sendo criado é o Seletivo, que muita gente tem chamado de imposto do pecado, que prevê a taxação de produtos que prejudicam a saúde, como cigarros e bebidas.
A reforma também pretende baratear o custo da cesta básica. Por enquanto os parlamentares ainda não definiram qual será o valor das alíquotas dos novos impostos. A reforma também cria um mecanismo de cashback, alguns contribuintes de baixa renda poderiam receber de volta parte dos impostos que pagaram sobre alguns produtos, mas isto ainda não foi detalhado e está em discussão.
Outros impostos que pagos pelos brasileiros também serão mudados, a exemplo do IPVA que deve aumentar para veículos que poluem mais o meio ambiente, assim como passa a ser cobrado IPVA sobre bens de luxo, como jatinhos e lanchas.
Outra mudança bem polêmica é sobre a herança que além de aumentar, vai incluir dinheiro que está no exterior.
Todas estas mudanças entram em vigor a partir de 2026 de forma gradual até 2033.
 
O que não muda com a reforma tributária?
Isenção para livros e entidades religiosas e de caridades;
O Simples Nacional que é o imposto para micro e pequenas empresas não será mudado;
A Zona Franca de Manaus também continuará existindo.
A carga tributária não deve mudar, vamos continuar pagando a mesma coisa ou mais, o que é muito provável.
 
O que fica para depois?
Há dois grandes temas que ficarão para serem discutidos e debatidos por parlamentares num segundo momento, pelo menos 6 meses depois da promulgação desta primeira etapa que está em discussão agora.

Receba as notícias do Portal Sentinela do Oeste no seu telefone celular! Faça parte do nosso grupo de WhatsApp através do link: https://chat.whatsapp.com/Bzw88xzR5FYAnE8QTacBc0
Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/jornalsentinela/
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Sentinela do Oeste Publicidade 1200x90